30 de mai de 2013

Rockstar - Capítulo CXXXIV



Alguns minutos depois, Jack batia na porta do camarim. - Oi, amor... a Jenni me disse que você estava chorando, o que aconteceu? Não quero te ver mais triste...

- Oi, meu amor... estava sim... me perdoa... aconteceu uma coisa aqui, entre eu e o Mick e eu fiquei triste comigo mesma...

- Meu amor... não fica assim...  Ele te magoou? Você quer que eu fale com ele?

- Não, querido... não... só me sinto triste... esta nossa situação me machuca tanto...

- Amor... fica tranquila... não posso e não vou te cobrar nada, nunca... estou aqui porque te amo desesperadamente e sei como você se sente... mas nada disso muda o que eu sinto por você... nada...

- Jack... minha vida... - Clara beijou-o com paixão e quando o fez, sentiu-se completamente mergulhada em seu amor.

- Então... vamos para a festa? O corredor já está vazio, a segurança já conseguiu expulsar as pessoas que invadiram e tudo está tranquilo... Agora, eu quero que você relaxe e sinta o que é o sucesso... você vai perceber que naquela sala todos estarão te olhando... você vai sentir... Olha, meu amor... alguns olhares serão de admiração, outros de desejo, mas a maioria será de inveja mesmo... as pessoas que não têm nenhum talento querem que todos sejam medíocres como elas e  não suportam ver alguém como você, tendo o sucesso que elas acham que merecem...

- Isso sempre é assim... em todos os lugares... vi muito esse tipo de coisa quando ia a alguns lançamentos dos meus livros, principalmente os mais exclusivos, só com convidados da editora...

- Então você sabe do que estou falando... vamos lá, mas sei que daqui a pouco você vai vir me dizer que quer ir embora, que está cansada... não é cansaço... infelizmente os invejosos acabam com sua energia, se você permitir... por isso, minha querida... assim que você se cansar, vamos embora... mesmo porque, eu quero passar minha noite com você, te mimando muito... 

- Eu te amo, Jack... muito... - Clara sorriu, beijou Jack no rosto e pegou em seu braço. - Você é maravilhoso comigo...

- Você que é, meu amor... - Jack beijou-a com paixão. Ainda não havia nenhuma indicação concreta de que aquele relacionamento dela com Mick Jagger estaria terminando, mas ele sentia seu coração aquecido por uma nova esperança, vinda de não se sabe onde, de que aquela situação estava no fim.

A saída dos dois do camarim, foi mais tranquila, o corredor agora completamente livre, enquanto uma fila de convidados ia aos poucos entrando.

De mãos dadas, os dois entraram e assim que foram vistos pelos convidados, passaram a ser saudados com alegria, aplaudidos, cumprimentados, fotografados e filmados, enquanto cruzavam a sala, caminhando na direção dos amigos que esperavam por eles.

- Princesa... querida... Velhão... vem aqui tomar um champagne conosco... cara... foi tudo tão perfeito hoje que já pedi umas três vezes para a Cindy me beliscar... vou ficar todo roxo, mas ainda não consegui acordar... é um sonho, só pode ser um sonho... - David sorriu e abraçou Jack. - Cara, obrigado  por permitir isso...

- Poxa, amigo... agradeça ao meu anjo... só estou aqui por causa dela... tudo é sobre ela agora...

- Princesa... obrigado... - David abraçou Clara. - Eu deveria estar bravo, porque você roubou completamente o nosso show lá dentro... mas estou feliz porque agora tenho certeza de que temos uma estrela nas nossas mãos, não vejo a hora de produzir seu disco, minha querida...

- Obrigada Dave... - Clara sorriu sentindo o braço de Jack puxando-a.

- Então... volta para meus braços, amor... - Jack riu. - você só vai poder produzir o disco do meu amor, se eu te ajudar...

- Perfeito, Velhão...

- Eu e o Keith também vamos ajudar... - Mick aproximou-se e beijou Clara no rosto e depois sussurrou no ouvido dela. - Você está melhor?

- Sim... obrigada, querido....

Anônimos e famosos passavam por eles e cumprimentavam, Clara pediu a Michael Peters para localizar seus parentes e juntou-se a eles por algum tempo, todos bastante emocionados depois de vê-la no palco, cantando pela primeira vez.

- Querida... você estava tão linda! - a mãe de Clara disse, abraçando-a. - Nunca vou me esquecer... pedi até ao Jonas para gravar com o celular para nós...

- Obrigada... eu estou muito feliz de que vocês estejam aqui... - ela disse com lágrimas nos olhos. - Me desculpem, não pudemos ficar muito tempo juntos...

- Não se preocupe com isso, querida... o show foi tão emocionante...

- Muito barulhento pro meu gosto... - o pai de Clara interrompeu, sob o olhar de reprovação de Dona Ana.

- Ah Paulo... não liga filha... seu pai não entende mesmo de nada...

- Você estava linda... - Jonas abraçou Clara. - Estou muito feliz por você, minha querida...

- Obrigada, Jonas!

- Você está aí, querida... - Jean Paul, o estilista de Clara aproximou-se dela na festa. - Você me emocionou muito hoje, chorei como uma criancinha...

- Ah querido... obrigada! Acho que você conheceu minha família no casamento... meus pais, Paulo e Ana, esta é a Ciça, minha irmã e estes são meus amigos Jonas, Renata e Sarah...

- Sim querida... Ollá todos... - ele disse em um espanhol que julgava ser português. - Querida, posso te pedir um favor?

- Qual, querido?

- Queria uma foto ao seu lado, para postar no meu novo site...

- Claro, meu amor... Quer que eu chame o Jack? - Ela sorriu, acenando para o marido, que veio imediatamente em sua direção.

- O que foi querida?

- O Jean Paul quer uma foto conosco... para o site dele...

- Ah... claro... onde, Jean Paul? Pode ser aqui? - Jack disse abraçando Clara. - Já estava com saudades de você, Menininha...

- Ah, meu amor... - ela sorriu e beijou-o.

- Vocês ficam lindos juntos.... - Jean Paul suspirou empolgado. - Ah, L'amour!

As fotos foram feitas e Jack, que já tinha combinado antes com o DJ da festa,  puxou Clara até a pista de dança, surpreendendo-a, com músicas que ele sabia serem suas favoritas.

- Preciso dançar com você, meu anjo... - Jack sorriu e agarrou-se a ela, enquanto ela sentia-se derreter em seus braços, de tanto amor. - Estou tão feliz hoje... depois de muito tempo, estou te sentindo inteira aqui comigo...

- Ah, querido... que lindo... Você sabe o que Cole Porter faz comigo, não sabe?

- Sei... e agora estou contando com ele para me ajudar a te levar para casa, nos meus braços... a rainha desta noite, desta festa e do meu coração...

- Ah, querido...

Os dois continuavam a ser o centro das atenções, dançando agarrados na pista; eram olhados com admiração, fotografados, filmados e aplaudidos, mas continuavam concentrados um no outro.

Mick, afastou-se de lá o quanto pode, conversando com David Mersey e depois, desistindo e partindo, para passar a noite em seu próprio apartamento, lutando contra a tristeza que tinha se instalado em seu coração e tentando fazer planos para reconquistar o coração da mulher que ainda amava, muito mais do que queria amar.

Jack e Clara também foram logo embora, passaram o dia na Arena O2 e sentiam falta do conforto de estarem em casa, precisavam descansar para conseguir encarar o dia seguinte, sabiam que ele seria igualmente pesado e emocionalmente desgastante.

Chegando em casa, foram direto para o quarto, queriam comemorar o fato de estarem juntos, unidos novamente por um amor que queimava dentro de seus corações, mais vivo do que nunca.

Mais tarde, a família de Clara voltava para casa, todos cansados, mas felizes pela noite de festa que tiveram. Até seus pais, preocupados com a saúde e com o casamento da filha estavam mais tranquilos, por sentí-la tão feliz e mais certos do que nunca de que ela estava destinada a um futuro brilhante.

Continua

3 de mai de 2013

Rockstar - Capítulo CXXXIII


Clara saiu do camarim, tonta e ainda sentindo seus joelhos amolecidos, cederem ao peso de seu corpo. Ao contrário do que aconteceu o dia todo, o corredor dos camarins agora estava muito agitado. Grades e seguranças tentavam isolar o acesso aos camarins de uma multidão que tinha invadido os bastidores e agora complicava o trabalho dos seguranças, tirando fotos com seus celulares,  chamavam Clara para aproximar-se deles.

Ela apenas sorriu e acenou quando se aproximava da porta do camarim dos rapazes ficou contente de encontrar suas amigas Cindy e Jennifer, chegando no mesmo momento.

- Querida... foi um sufoco para passar por eles... todo mundo está esperando lá no camarote para descer... O que aconteceu com seu celular? Tentamos te ligar mas não conseguimos...

- Queridas! Que bom que vocês estão aqui... meu celular está desligado... ah... estou muito nervosa...

- O que houve?

- O Mick... ele tentou transar comigo no camarim, agora pouco... tive que fugir dele...

- Ah, querida... o que houve? - Jennifer perguntou. - Você está tremendo...

- Quando o show terminou, vim para o meu camarim, trocar minha roupa e me ajeitar para a festa... o Pablo, a Sarah e o Mick vieram comigo... mas quando o Pablo terminou de me arrumar, o Mick pediu para a Sarah sair e começou a me agarrar... eu também queria... mas tive medo, do Jack vir me procurar... de eles brigarem... e fugi dele... eu o amo, mas não pude... não hoje, não aqui...

- Ah, querida... calma... você não deve ficar assim nervosa... pensa na sua saúde... lembra que há poucos dias você não conseguia nem ficar em pé direito... não deixa isso  te abalar... - Jennifer abraçou-a. - Calma...

- É, querida... você precisa pensar mais em você... - Cindy disse, pegando-a pela mão... - Vem... vamos para o seu camarim porque o dos rapazes deve estar muito agitado...

- Não... ele está lá... louco da vida comigo...

- Não se preocupe... ele sabe que você precisa se acalmar antes de enfrentar essa festa... vem... vamos lá conversar com mais calma...

- É... vem beber um pouco de água... - Cindy disse, pegando-a pela mão e batendo na porta do camarim com a estrela dourada. - Mick, querido... sou eu... a Cindy Mersey...

Mick abriu a porta para elas e ficou preocupado ao ver Clara chorando novamente. - O que aconteceu, meu amor? - ele disse, caminhando até ela e abraçando-a.

- Ah, Mick... me desculpa... me descontrolei... estou tão fora de mim hoje...

- Meu amor... fica tranquila... vem... vamos sentar... quer um whisky?

- Não, querido... só água... - ela disse, sentando-se no sofá, com suas amigas. - Obrigada...

Mick trouxe o copo de água para ela, enquanto Cindy e Jennifer levantaram-se para dar a eles alguma privacidade, com a desculpa de olhar as flores que ela tinha recebido. - Olha só, Jen, ela tem uma floricultura completa
aqui... que lindas...

- O que foi, meu amor... - Mick disse, entregando a ela o copo com água. - Você está com as mãos geladas... está com frio?

- Não... me perdoa, querido... fiquei muito nervosa... achei que podia vencer a culpa, mas ela está me vencendo mais uma vez...

- Não fica assim... estamos bem, não estamos? - ele sorriu e pegou a mão dela. - Olha, querida... eu quero que você se acalme... vamos ficar em paz... eu aceito e respeito tudo o que você decidir... e só vou te tocar novamente quando e se você quiser... ok?

- Obrigada, querido... - Clara beijou-o no rosto, enquanto ele secava suas lágrimas com um lenço de papel, cuidadosamente para não borrar a maquiagem.

- Agora, vamos esperar o Jack... e vamos para a festa, quero você linda lá no meio da pessoas, e que elas te digam o quanto você estava linda naquele palco, depois, vamos descansar em casa... está bem?

- Ok, querido... me desculpe, mas estou muito  descontrolada hoje...

- Eu sei... não precisa se desculpar... eu te entendo perfeitamente... - Mick deu um beijo na testa dela. - Pronto... minha estrela... se você já está melhor, vou para o camarim dos rapazes... o Peters me disse no  telefone agora pouco que mandaria mais seguranças aqui para baixo, para podermos andar pelos corredores sem correr risco... parece que ainda não conseguiram expulsar as pessoas que invadiram os bastidores...

- Meu Deus! Mas está tudo bem? Eu vi uma porção de gente ali, atrás de uma barreira, mas não sabia que eles tinham invadido...  E os rapazes? Está tudo bem com eles, não? Estão no camarim deles? 

- Sim, meu amor... quando a segurança percebeu que as pessoas vieram para cá, avisaram todo mundo, inclusive os convidados para aguardar nos camarotes, antes de descer para a festa... nem sei como vocês conseguiram chegar aqui...

- Já tinhamos descido, quando eles invadiram... tivemos que correr... - Jennifer sorriu.

- Não é perigoso você sair daqui, agora, meu amor...

- Não, querida... está tudo bem, meu segurança está aqui na porta... e você, está melhor?

- Estou meu querido... ah, meu amor... eu te amo tanto...

- Também te amo, querida... - ele levantou-se e beijou Clara novamente na testa. - Queridas... vou para o camarim dos rapazes, vocês vêm?

- Ainda não... vamos ficar mais um pouco aqui com a Clara...

- Eu  agradeço vocês por trazê-la para mim... eu amo muito sua amiga, minhas queridas... e preciso fazê-la feliz... Nos vemos daqui a pouco?

- Sim, claro... - elas sorriram e mandaram beijos, enquanto ele deixava o camarim.

- Ele continua adorável, amiga... - Jennifer suspirou. - Ah, se ele não estivesse tão apaixonado por você...

- Eu o amo tanto, que tenho medo de me perder nesse amor... - Clara suspirou.

- E o Jack? - Cindy perguntou com medo da resposta.

- Também o amo... muito... infinitamente... pode dizer o que você está pensando, querida... sua amiga aqui é uma louca...

- Não, querida... você não é louca... eles são dois homens maravilhosos, isso sim, e são tão apaixonados por você que te deixam confusa... não tem nada de errado nisso... tenta ficar em paz com o que está sentindo... e deixa seu coração te guiar, só ele vai te ajudar a tomar uma decisão, seja ela qual for...  - Cindy abraçou a amiga.

- Então... está melhor, querida? - Jennifer perguntou ajeitando o vestido de Clara. - O Jean Paul anda arrasando ultimamente... ele te falou que agora está no primeiro time e que a Vogue vai colocá-lo na capa do mês que vem?

- Não... não conversamos muito nesses últimos tempos... ele só foi em casa para arrumar os meu figurinos...

- Querida, você catapultou a carreira dele... imagina agora depois dessa estreia linda... Nossa... esse bracelete.... eu não conhecia...

- Ah... o Jack me deu hoje... antes do show... quase morri de emoção quando abri a caixa... linda, né?

- Linda?  Meu Deus, querida... esse é um Harry Winston e dos mais lindos e caros... meu amor... seu marido está aprendendo a comprar jóias...

- Linda demais, Clara... - Cindy sorriu. - Olha só o tamanho desses diamantes... não me surpreenderia se descobrisse que ele comprou em algum leilão... não se fazem mais jóias assim...

- Não sei... ele só me disse que comprou sozinho e que eu poderia trocar se eu quisesse...

- Troca pela Ilha de Manhattan, boba e ainda vão te dar uns bons milhões de troco... - Jennifer riu, deixando Clara assustada com o possível valor daquela jóia... Eu e a Cindy vamos para o camarim dos rapazes e vamos pedir para o Jack vir te buscar... pode ser?

- Pode... obrigada, amigas... e me desculpem... não queria estragar a noite de vocês...

- Não estragou nada, querida... estamos super orgulhosas de você...

Continua