28 de dez de 2013

Rockstar - Capítulo CXLIII


Sentindo-se melhor, depois de passar algumas horas conversando com Mick, Clara subiu para seu quarto e arrumou as malas para a viagem. Estava com outro ânimo agora, depois de sentir-se derreter nos braços de Jack, agora ela esquecia completamente sua missão de pedir a Mick para afastar-se.

E enquanto, ela e Mick conversavam animadamente sobre o final de semana, Jack fugia deles. Aliás, não demorou muito para ele arrumar uma desculpa e sair de casa, voltando no último instante, quando Mick e Clara já estavam prestes a subir no carro que os levaria ao aeroporto.

- Onde você estava, amor?

- Desculpa, querida... fui conversar com o Dan... ele me ligou e eu fui até o pub...

- Tudo bem, querido... só fiquei preocupada... você vai viajar com essa roupa?

- Vou... por que? Não estou bem?

- Está sim... Jack, querido... me perdoa...

- Por que?

- Porque fiquei conversando com o Mick... é que eu e ele... nós temos conversado muito sobre a história do castelo e...

- Eu sei, querida... não precisa se justificar comigo... está tudo bem... você o ama, vocês têm muito em comum... eu saí porque vocês precisavam de espaço...

- Jack... vem aqui, por favor... - ela puxou-o para perto de seu corpo e agarrou-se nele. - Me perdoa... se eu estou te magoando... vou pedir ao Mick para afastar-se... não suporto mais te ver triste...

- Não estou triste, querida... eu sei o que você me fez sentir lá no quarto... ah, Menininha... não precisa separar-se dele, está tudo bem...

- Mas eu quero... sinto que se não o fizer, vou te perder e não sobreviverei se isso acontecer...

- Você não vai me perder... de jeito nenhum, meu amor... - Jack beijou-a longamente, tirando-lhe o ar e fazendo-a perder o rumo.

- Amor... - ela suspirou. - Preciso chamar o Mick... ele me pediu para avisá-lo quando você chegasse... para que ele possa chamar o motorista que irá nos levar ao aeroporto.

- Ok... - ele sorriu. - Você pegou minhas gaitas?

- Sim, amor... estão naquela sacola ali, ao lado das nossas malas... - Clara sorriu. - Peguei aquela case preta inteira. Você vai levar sua guitarra também?

- Vou... deixa, vou buscar lá no quarto... não se preocupa... falta minha bolsa também...

- E a minha... vou chamar o Mick e depois já vou lá em cima pegar...

- Não quer que eu traga para você?

- Não, amor... eu preciso conferir se peguei tudo... câmera, iPad, jóias, remédios... estou com medo de esquecer alguma coisa...

- Está bem, querida... vou buscar minha guitarra, enquanto você chama o Mick...

- Ouvi seu carro chegando...  - Mick disse ao chegar na sala de estar, trazendo uma pequena mala de couro em uma mão e seu celular na outra. - Já estou ligando para meu motorista... ele deve chegar aqui em uns cinco minutos...

- Está bem, amigo... - Jack sorriu e seguiu para o quarto que em breve seria sua sala de música, que ainda não estava terminado e, por enquanto, estava sendo usado para armazenar sua coleção de discos e seus instrumentos.

Mick esperou que ele se afastasse para aproximar-se de Clara. - Então? Está tudo bem entre vocês?

- Está... obrigada por me ouvir... sei que sou uma chorona chata...

- Não é... eu te amo muito... quero te ver feliz... adoro te ver sorrindo...

- Você é maravilhoso comigo, querido... e eu te amo muito... - Clara disse abraçando-o, enquanto Jack chegava à porta da sala de estar, completamente despreparado para a cena que encontrou. 

- Então... vamos? - Jack disse colocando a case com sua guitarra acústica no chão. - Amor... vamos buscar nossas bolsas lá em cima?

Clara sorriu e piscou para Mick, enquanto subia as escadas ao lado de Jack. - Vamos amor... o Mick já chamou o motorista... ainda preciso pegar  meus remédios na cozinha... não me deixa esquecer...

- Está bem, meu amor... você não pode deixar de tomá-los...

- Não agora que estou melhorando... sabe que me pesei hoje cedo e recuperei mais um quilo?

- Mesmo? Que bom, meu amor! Fico feliz... viu... está tudo bem... o Mick está te ajudando...

- Ele me ajudou muito hoje... quando você saiu de casa e eu comecei a chorar, porque estava sentindo a sua dor...

- Mas...

- É... eu senti... você fugiu com medo de nos ver juntos... e, embora ele me ajude muito, acho que precisamos nos afastar... porque eu não quero te perder... - Clara disse chorando novamente. - Por favor... não me abandona...

- Não vou te abandonar, Menininha... nunca... - ele a abraçou, ajudando-a a conferir as coisas que precisava colocar na bolsa e depois foi buscar seus remédios na cozinha, sentindo-se muito culpado por seus ciúmes.

Sua culpa o fez ainda mais carinhoso. O voo foi bastante acidentado, a tempestade, que pegaram no caminho, balançava sem clemência o pequeno avião, deixando todos apavorados a bordo e Clara em pânico, tremendo nos braços de Jack.

- Calma, meu amor... - ele sussurrava em seu ouvido, enquanto ela escondia o rosto em seu peito. - Já vamos chegar...

- Clara, querida... quer um uísque? - Sem precisar levantar-se,  Mick pegou uma garrafa e copos no armário próximo de seu assento.

- Aceito sim... - ela disse chorando. - Me desculpa... mas... estou apavorada...

- Todos estamos, querida... - Mick sorriu, distribuindo copos de uísque, entre seus convidados. - Se cairmos, pelo menos, morreremos bebados, como bons rockstars...

- Ah, Mick, meu velho... - David riu. - Só você para me fazer rir em uma situação como essa... Calma princesa... vai dar tudo certo, querida...

- Vocês são maravilhosos comigo... sei que estou sendo ridícula...

- Não meu amor... você é linda... tão doce... - Jack disse, beijando-a. - Eu te amo tanto...

- Ah, querido.... eu te amo... muito... - ela sorriu.

- Bem... parece que escapamos desta vez... - Mick sorriu.

- Senhoras e senhores, acabamos de contornar a tempestade e daqui a poucos minutos estaremos pousando no aeroporto de Nice, por isso, pedimos que permaneçam sentados e com seus cintos afivelados. A temperatura é de 5 graus centígrados e o horário local é  16:18 minutos.

Todos os amigos a bordo, comemoraram e aplaudiram de forma barulhenta assim que o avião parou no hangar, onde limousines os esperavam.

- Chegamos, querida... - Mick levantou-se de seu assento e estendeu a mão para ajudá-la a levantar-se. - me perdoa por essa  viagem terrível?

- Claro, querido... - ela levantou-se e abraçou-o. - Me desculpa por ser tão pateticamente medrosa...

- Eu também estou gelado, querida... Vem... vamos descer... Jack, amigo, nos livramos de uma boa hoje...

- Está tudo bem, Mick... Vamos descer... quero vocês dois comigo, no carro... agora...- Clara disse, ainda nervosa depois de todo o medo que sentiu.

- Claro, amor... vamos nós três juntos, então... - Mick sorriu, pegando a mão de Clara e beijando. - Vamos, lá, amigo?

- Vamos sim... - Jack sorriu, abraçando Clara e Mick. - Me desculpem, se os fiz sofrer até agora... não tenho esse direito... Clara, você é livre... nós três somos livres... não terei mais ciúmes...

- Também não... - Clara sorriu. - Eu amo vocês dois... muito... e, meus queridos... eu quero, eu preciso, resolver nosso impasse... não quero mais ver nenhum de nós sofrendo... Preciso muito ver vocês dois felizes...

- Não se preocupem comigo... farei exatamente o que vocês dois quiserem... se precisam de mais espaço, eu me afasto... se me quiserem por perto, estarei por perto... estou nas suas mãos... 

Clara puxou os dois para mais perto e os abraçou. Desceram do avião com suas bagagens de mão e entraram em uma das limousines que os esperava no hangar. Os três juntos, a turbulência no voo  serviu para aproximá-los ainda mais, para a alegria de Mick e desespero de Jack.


Continua

Nenhum comentário: