27 de set de 2013

Rockstar - Capítulo CXLII

 

Assim que acordou, Jack levantou-se, tomou um banho e deu uma olhada pela janela, vendo-a descer do carro e entrar pela porta da frente de casa, fugindo da chuva.

Sem falar com ninguém, Clara subiu e foi deitar-se no quarto que seus pais tinham ocupado nos últimos dias; estava tão triste e cansada, que nem passou pela sua cabeça que Jack já podia estar acordado e procurando por ela, por toda casa.

Jack ficou desesperado depois de ir ao jardim e percorrer quase toda a casa sem encontrá-la, passou a perguntar a todos os empregados por ela, até que finalmente, com medo de encontrá-la, decidiu bater na porta do quarto de Mick Jagger.

- Mick... - Jack disse batendo na porta. - Posso entrar?

- Claro... - ele respondeu, sentando-se na cama, ainda tonto de sono. - Bom dia, Jack... algum problema?

- A Clara... - Jack disse suspirando aliviado por não encontrá-la lá dentro. - Você sabe onde ela está?

- Não... quer dizer... ela ía ao aeroporto levar os parentes dela... não é isso?

- Sim... ela levou, mas a vi chegando há pelo menos uma hora, mas não consigo encontrá-la...

- Espera um pouco, Jack... calma... - Mick disse pegando seu celular na mesa de cabeceira e ligando para o celular de Clara.

- Alô... - ela respondeu do outro lado da linha, depois de alguns toques. - Mick? É você?

- Oi, querida... o Jack está te procurando... onde você está?

- Ah... desculpa... estou no quarto de hóspedes... estava cansada e não queria perturbar o sono dele... me perdoem, não imaginei que ele fosse ficar me procurando pela casa... posso falar com ele, Mick?

- Claro, amor... - Mick sorriu e passou o telefone para Jack.

- Oi amor... onde você está? Fiquei preocupado...

- Ah, Jack, querido... me perdoa... voltei triste e cansada e não quis te perturbar... estou no quarto dos meus pais... Já vou até você...

- Não...  fica aí... vou subir para conversarmos... - ele disse desligando o telefone e devolvendo-o a Mick. - Obrigado Mick... e me desculpa por te acordar...

- Não se preocupe, amigo... vai lá cuidar dela... ela me pareceu tão triste ontem, depois do show...

- É verdade... ela nem dormiu a noite passada, chorou quase a noite toda...

- Vai lá cuidar dela, então... e se precisar de mim, é só me chamar... vou me levantar agora, comer alguma coisa e só saio daqui quando ela estiver bem...

Só depois de sair do quarto de Mick, Jack permitiu-se chorar. Subindo os degraus de dois em dois, ele sentia-se aliviado por não tê-la encontrado no quarto do rival, mas ao mesmo tempo preocupado por ela não o ter procurado.

- Clara, meu amor... - Jack bateu na porta e ela a abriu. Estava chorando descontroladamente. - O que foi, querida? Vem...

Jack fechou a porta e levou-a até a cama, sentando-a em seu colo e envolvendo-a com seus braços. Chorava junto agora, desesperado por não saber como fazê-la parar. Ficou ainda alguns minutos, apenas agarrado a ela, sem saber o que dizer. Não compreendia aquela crise depois de tanta felicidade apenas um dia antes.

- Me diz, amor... o que você quer... faço o que você quiser... sou seu, estou aqui para você...

- Me perdoa, Jack... fiquei muito triste de me despedir dos meus parentes e...

- Ah, meu amor... traga todos para cá...

- Não querido... - ela disse tentando controlar seu choro. - não precisa... estou nervosa, cansada...

- Me perdoa... se eu não te dei a atenção que você precisa...

- Não, meu amor... não é você... sou eu... estou sentindo uma dor imensa hoje... estou te magoando, estou magoando o Mick... não posso deixar que isso aconteça mais...

Jack interrompeu-a com um beijo. - Eu te amo... não duvida disso nem por um segundo...

- Mas...

- Não tem mas aqui... - Jack disse apontando o próprio peito. - Não tem dúvida, não tem dor... só amor... me deixa te fazer feliz, querida... por favor... me dá essa chance...

Ela beijou-o apaixonadamente e os dois mergulharam um no outro, com todas as emoções à flor da pele eles se amaram novamente e a tristeza profunda que Clara estava sentindo, afastou-se para longe enquanto ela voltava a sentir-se envolvida pelo carinho de Jack.

- Eu não te mereço, Jack... - ela disse abraçando-o.

- Ah, meu amor... vem... vamos comer... estou com muita fome agora... - Jack sorriu, esforçando-se para mantê-la sorrindo.  - Estou aqui para te fazer feliz, como você me faz feliz...

- Eu te amo tanto, meu querido... tanto... me perdoa se não sou...

- Não tenho nada a perdoar... eu te amo... - Jack levantou-se e levou-a pela mão até o banheiro, onde os dois lavaram o rosto, depois vestiram-se e desceram, encontrando Mick no caminho, também indo tomar café na sala de jantar.

- Bom dia, meu amor... - Mick disse puxando-a pelo braço e abraçando-a. - Como você está?

- Melhor, querido... desculpe... fiquei tão triste de ver meus parentes partindo...

- Por que você não os convida para morar aqui em Londres? - Mick perguntou - Jack, acho podemos comprar uma casa para eles... aqui no bairro mesmo... 

- Não, queridos... obrigada, mas acho que isso não será possível... a vida deles é no Brasil, nunca aceitariam ficar aqui...

- Ah, amor... - Mick insistiu. - Conversei bastante com seu pai... acho que é só uma questão de comprar para eles uma casa boa, aqui perto... posso procurar isso para você... o que você acha, Jack?

- Farei o que a Clara quiser... - Jack respondeu um pouco contrariado ao perceber Mick tão disposto a interferir na vida dele e de sua mulher.

- Ah... Mick... falando no meu pai... - Clara sorriu. - Quero te agradecer muito por tê-lo tratado tão bem... aliás... você tem se mostrado mesmo um grande amigo... nunca vou me esquecer disso...

- É amigo... você tem sido muito bom para nós dois... obrigado... - Jack sorriu para Mick. - E então? Vamos viajar a que horas, mesmo?

- Às três... acho que precisamos sair daqui antes das duas... - Mick respondeu. - Já está tudo confirmado... o Charlie já está lá... me ligou agora de manhã para queixar-se do tempo, como se eu fosse o responsável por não termos sol... mas esse é o Charlie... - ele sorriu. - O Ron e o Keith chegam só à noite... e hoje, teremos uma convidada especial, que também já me ligou confirmando.

- Convidada? - Clara perguntou com medo da resposta.

- Sim querida... - Mick sorriu. - Todos que vão ao castelo são bastante interessados em conhecer a história dele e por isso, eu convidei a Doutora Susan Hubllot, a autora de um livro sobre ele, para nos contar tudo... meu motorista vai buscá-la no aeroporto de Nice... estou tão animado sobre isso... ela conhece em detalhes a história dos amantes do "Idílio", sabe até seus nomes...

- Mesmo? Nossa! Então eles existiram mesmo... Uau! Acho que vou adorar... - Clara sorriu, deixando Jack com ciúmes.

- Conversei com ela ontem... inclusive me disse que pesquisou longamente para o livro na biblioteca do castelo, na época em que o banco era o dono. Ela disse que vai nos mostrar todas as suas descobertas...

- Ah querido... obrigada... acho que esse é o melhor presente que você poderia me dar... - Clara sorriu. - Eu te amo...

- Bem, querida... vou ligar para o Dave, ver como as coisas estão...

- Está bem, querido... - Clara disse ao marido, que já tinha se levantado da mesa e já a beijava na testa, antes de ir na direção da sala de estar. Sentia-se irritado, com a insistência de Mick e ainda mais com a receptividade que ela encontrava em Clara. Ía mesmo ligar para David, precisava desabafar com alguém, não esperava por sentí-la tão longe, depois de tê-la tão entregue em seus braços.

 Continua
 

Nenhum comentário: