23 de ago de 2013

Rockstar - capítulo CXL



- E o seu namorado? - Jack deu um sorrisinho malicioso, enquanto terminava de vestir-se novamente. - Ele te disse a que horas vem para cá?

- Não... - Clara olhou para ele indignada com o tom que ele estava usando. - Você não vai começar com isso de novo, vai?

- Não estou começando com nada, meu amor... calma... não fica toda bravinha... ele é seu namorado, não é?

- É... quero dizer... acho que continuará sendo, pelo menos até o final desta semana...

- É isso o que você está planejando? Romper com ele no castelo?

- Não estou planejando nada, Jack... apesar de estar sendo tudo tão maravilhoso entre nós, nestes últimos dois dias, ele continua muito importante para mim...

- Meu amor... eu sei... não se preocupe com isso... eu só queria saber onde está seu coração agora...

- Com você, meu querido... ele está sempre com você... - Clara sorriu e ajeitou os cabelos longos de Jack. - Mas arrumei esse problema sozinha e sairei dele sozinha também... por enquanto, não quero perder nenhum dos dois... aliás, antes de você vir aqui e conversarmos, achei que tinha te perdido e doeu tanto que me deu vontade de morrer...

- Ah, meu amor... não suporto te ver triste... estamos bem, não estamos? - Jack sentou-se novamente no sofá e pegou-a no colo.

- Muito bem, querido... mas tenho medo... tenho tido uns sonhos estranhos, não consigo lembrar de nada quando acordo, mas sinto que alguma coisa de muito ruim está para acontecer...

- Ah, meu amor... não fica assim... será que não seria melhor conversar com alguém sobre isso? Quer que eu ligue para a Kate? Acho que ela pode te indicar um bom terapeuta...

- Acho que você tem razão, querido... ela pode me ajudar sim... vou ligar para ela quando voltarmos de Nice... aliás, agora, que já melhorei bastante e minha família vai voltar ao Brasil, quero que ela venha novamente morar conosco... até o apartamento deles estar pronto... estou com saudades do pequeno Jack...

- Está bem, minha vida... o que você quiser... como você quiser... para mim também será muito bom... você sabe que convivi muito pouco com a minha filha e ainda me sinto bastante culpado por isso...

- Eu sei, querido... - Clara deitou a cabeça no peito de Jack. - Minha culpa também não me deixa... sei o quanto estou te magoando, magoando o Mick... você tem razão, acho que conversar com a Kate pode me ajudar... estou tão cansada de sentir que estou fazendo tudo errado...

- Não está, meu amor... você nos ama, não tem nada de errado nisso... nós dois somos seus amantes e amigos... além disso, você nunca nos enganou... nós dois sempre soubemos o que estava acontecendo, você nunca mentiu para nós, mentiu?

- Não... não consigo mentir para quem eu amo... sou assim...

- Eu te amo tanto...  Só você tem este efeito sobre mim... Olha isso... - ele disse tentando secar as lágrimas que agora escorriam de seus olhos.

Clara agarrou-se nele e os dois apenas choraram em silêncio por alguns minutos, interrompidos por batidas na porta. - Velhão... você está aí? - David Mersey e Michael Peters precisavam de respostas de Jack e Clara enxugou os olhos e abriu a porta, enquanto Jack também se ajeitava.

- Desculpa Princesa, mas precisamos do Velhão... estamos com um problema com a setlist, será que você pode vir conosco?

- Está bem... - Jack disse com uma expressão contrariada. - Amor... eu já volto...

- Ok, querido... - ela disse, beijando-o na boca. - Vou estar aqui...

Clara pegou o tablet e ligou-o novamente. Enquanto ela dava uma olhada no que tinha sido publicado sobre o show da noite passada, o tablet começou a apitar, avisando que alguém queria falar com ela. Do outro lado da tela, Mick Jagger sorrindo.

- Olá querida... está tudo bem com você?

- Oi Mick... tudo bem... você não vem para cá?

- Mais tarde... estou resolvendo algumas coisas aqui no escritório antes... Já vou para aí... ele te deixou sozinha, de novo?

- Estava com o Jack, mas o David veio buscá-lo aqui e eu acabei sozinha... achei que as coisas estariam mais calmas hoje, mas não estão...

- Ah... não se preocupe... as coisas são assim mesmo... puxa... queria estar aí com você...

- Estou muito triste hoje... meus parentes vão embora amanhã cedo e  mesmo assim, o Peters não os deixa ficarem aqui comigo...

- Meu amor... ele trabalha para vocês e não ao contrário... quer que eu ligue para ele?

- Não... - ela disse não conseguindo mais segurar as lágrimas. - Desculpe querido... estou tão triste...

- Estou indo para aí... não consigo te ver assim...

- Não precisa vir, querido... não se preocupe comigo, vou ficar bem...

- Não vai não... vou cuidar de você... é por mim também... estou tendo um dia muito difícil... só você consegue me fazer relaxar, depois do que passei por aqui neste escritório... tem aquele chocolate maravilhoso aí?

- Não, querido... ontem acabou tudo...

- Vou passar naquela loja, perto da nossa casa e levar, então...

- Está bem... vou tentar comer alguma coisa agora... ligar para casa para saber se meus pais já saíram para vir para cá... o Jack quer que eu converse com a filha dele que é terapeuta...

- E o que você acha disso?

- Preciso de ajuda, estou cansada de me sentir culpada... não consigo aceitar o que eu sinto...

- Calma, meu amor... vou ligar para o meu piloto e já vou para aí... quero ir cedo amanhã para Nice... aliás, por mim, ia para lá nesta noite mesmo, logo depois do show...

- Por favor Mick, não venha... o Jack não vai entender, eu sinto que ele espera que eu converse com você no castelo e que tudo termine neste final de semana entre nós...

- Eu sei, meu amor... mas não se preocupe... vou fazer exatamente o que você me pedir que eu faça... mas quero estar com você agora, não suporto a ideia de te ver assim tão triste, meu amor...

- Estou ficando cansada de mim mesma... eu te adoro, mas sinto que isso está machucando muito o Jack...

- Fica tranquila, meu amor... vou até aí, conversamos, comemos chocolate e você já vai sentir-se melhor... me deixa te fazer feliz, por favor...

- Está bem, querido... eu queria tanto poder te fazer feliz de verdade...

- Mas você faz... Pronto... mandei uma mensagem para o celular do meu piloto pedindo que ele me ligue... já estou a caminho... eu te amo...

- Eu te amo, querido... mas não precisa vir até aqui agora...

- Mas eu quero ir... preciso cuidar de você... já estou a caminho....

- Ok, então... já que não vou te convencer a não vir,  estou te esperando...

Ela desligou o tablet, levantou-se do sofá e caminhou até a mesa com comida e bebida, pronta para ela. Pegou um croissant de chocolate, uma taça de champagne e voltou para o sofá, pegou o celular, ligou para Jonas que disse que tinham acabado de sair de casa e estavam no trânsito, a caminho da Arena.

Mick chegou a considerar usar o helicóptero para ir até a a Arena, mas não era só a pressa, pensou que queria fazê-la feliz e por isso passou antes na sala de sua secretária e pediu a ela que contatasse duas lojas para ele, pediu que a floricultura preparasse um grande maço com rosas cor de lavanda e que a loja próxima da casa de Clara, entregasse 20 caixas de chocolate na casa dela e deixasse duas prontas para ele retirar nos próximos 10 minutos.

Enquanto isso, continuava conversando com uma historiadora francesa que finalmente tinha localizado e estava disponível para ir ao castelo naquele dia mesmo, examinar livros da biblioteca e contar a história de sua longa pesquisa sobre a família que habitara aquele lugar há muitos séculos.

Precisava fazê-la feliz... sabia que estava remando completamente contra a maré. Mas sentia que precisava continuar lutando para manter vivo aquele amor. 


Continua 

Nenhum comentário: