20 de abr de 2013

Rockstar - Capítulo CXXXI


Clara beijou-o, sentindo um enorme carinho por ele. Aquele não era o melhor momento para decidir nada, mas ela precisava de uma solução para o impasse em que estava vivendo. Apesar de amar profundamente os dois homens, nem ela encontrava um jeito de aceitar com naturalidade seus próprios sentimentos.
Sabia que Mick administrava muito bem aquele relacionamento, cercando-a sempre de tanto amor, ele se mostrava verdadeiramente disposto a obedecer qualquer decisão que ela tomasse.
Jack dizia a mesma coisa,  mas ela sentia que não era sincero; algo dentro de seu coração a fazia perceber a dor e a decepção dele, por vê-la envolvida com outro homem, justamente ela, a mulher com que ele sonhou quase toda a sua vida.

Ela precisava de um pouco de paz, talvez algum tempo sozinha com os dois para resolver o que fazer com aquele sentimento que a enlouquecia. Mas agora, há poucas horas dos três subirem no palco da Arena O2, na estreia da turnê, não era o momento. Aliás, para que tudo desse certo naquela noite, o melhor seria mesmo deixar as coisas como estavam.

- Amor... então fica tudo combinado... vou me aproveitar mais um pouco da sua hospitalidade... me sinto tão bem quando estou perto de você...

- Eu gosto muito de você, Mick... mas estou com muito medo de perder o Jack... o nosso casamento...

- Eu sei, querida... eu sei... seu casamento... - Mick suspirou. - Sei que hoje não é o dia certo para dizer isso, mas você já parou para pensar que se seu casamento fosse mesmo perfeito, você não teria se apaixonado por mim...

- Por favor... não fala assim...

- Me perdoa... não devia dizer isso... - Mick abraçou-a novamente. - Tudo bem, querida...

- Ah, Mick... eu te amo tanto... mas não está certo amar dois homens ao mesmo tempo...

- Calma, meu amor... este não é o momento para isso, o Jack me disse que vocês decidiram só conversar sobre isso quando formos para o castelo...

- Foi... eu conversei com ele e decidimos isso... mas continuo muito aflita...

- Não fica, meu amor... não quero te ver mais triste, nem doente... fica em paz...

- Vou tentar... - ela sorriu e levantou-se para abrir a porta para Michael Peters e Pablo, seu cabelereiro. A hora do show se aproximava e ele precisava terminar de arrumar seu cabelo e maquiá-la.

- Bem, querida... não quero mais te incomodar, vou estar no camarim com os rapazes... - Mick deu um sorriso triste e depois caminhou na direção de Pablo. - Olá, como é seu nome?

- Pablo... - ele disse apertando a mão de Mick, com uma expressão no rosto que misturava admiração e surpresa. - Cuida bem da nossa Princesa, amigo... ela merece...

Clara sorriu e mandou um beijo para ele. - Obrigada, querido...

Concentrando-se em uma tentativa vã de disfarçar o que estava acontecendo naquele camarim, onde os dois estavam sentados juntos, sozinhos, no sofá, ela disse para Peters: - O Mick veio aqui me pedir emprestado o recarregador do celular, mas eu não trouxe o meu... você pode conseguir um para ele, Peters?

- Claro... - o empresário ajudou no disfarce. - Tem o meu, está na bolsa da Ann, vou levar para ele... obrigada, Clara... Pablo, quando você terminar sobe lá para o camarote, por favor... e falando em camarotes, seus pais querem que você ligue para eles antes de começar o show... eles já estão lá no camarote há algum tempo...

- É mesmo, Peters... - Clara sorriu. - Me esqueci deles... vou ligar agora...

- Ok, senhor Peters.... obrigado por tudo... - Pablo disse, ainda embaraçado por ter  notado que alguma coisa estava acontecendo naquele camarim entre Clara e Mick.

Assim que Peters saiu do camarim, estabeleceu-se um silêncio constrangido entre ela e Pablo. Ele não tinha coragem de perguntar diretamente e Clara não se sentia suficientemente segura para mentir para ele, por isso, os dois apenas continuavam o que estavam fazendo e desviavam um do outro, quando seus olhares se encontravam, no reflexo do espelho. 

- Desculpa, Pablo, vou ligar para os meus pais... é só um minuto...

- Não tem problema, querida, eu espero...

O cabelereiro ajeitou o equipamento que usaria na bancada, enquanto ela conversava rapidamente com seus pais, sua irmã e seus amigos através do celular de Jonas. Depois de desligar o telefone, o silêncio caiu novamente entre eles.

- Desculpa... - Pablo disse não aguentando mais ficar quieto. - Eu sei que não é da minha conta.... mas ainda estou tentando... ah... você e o Mick estão mesmo juntos, como os tablóides disseram...

- Não...  nós somos só amigos, Pablo... - Clara sorriu. - Ele veio aqui para me contar sobre o casamento dele...

- Ele é casado?

- Era... até hoje pelo menos, com a modelo Gianna Carli... e ele está muito chateado por isso...

- Ah... não sabia... que pena...

- Pena mesmo... a Gianna era minha amiga também e estou triste que o casamento deles não tenha dado certo... 

- Ah, querida... mas hoje é o seu dia, nada de ficar se preocupando com os outros... você vai ficar linda...

- Estou muito nervosa... tenho medo de passar vergonha naquele palco e, pior do que isso, envergonhar meu marido...

- Querida, você é  muito talentosa... fica tranquila que vai dar tudo certo... Preciso saber de uma coisa...

- O que?

- O figurino... quando você pretende vestí-lo?

- Daqui a pouco, alguns minutos antes do show, estou com medo de sujar, amassar... por que?

- Porque eu vou fazer a maquiagem e arrumar o cabelo... e... dai... vai ser mais difícil de vestir as coisas com aquela coroa presa em sua cabeça....

- É verdade, não pensei nisso... mas estou usando uma camisa...

- Eu sei... mas vai ser difícil colocar aquele vestido sozinha...

- Ela não vai estar sozinha... - Jack disse parando na porta do camarim que tinha acabado de abrir. - Estou aqui para ajudá-la...

- Oh meu amor... que bom que você veio me ajudar... estava aqui conversando com o Pablo e ele acha melhor eu tirar essa roupa e vestir um robe... você me ajuda, querido?

- Claro! E mais tarde eu posso te ajudar com o figurino... que tal?

- Ótimo, senhor Noble! - o cabelereiro sorriu. - Assim ela fica  mais a vontade, enquanto faço o cabelo e a maquiagem...

- Está bem... vou me trocar no banheiro... - Clara disse, levantando-se da cadeira, pegando seu robe de seda e indo ao banheiro. - Vocês se comportem, enquanto me troco, ok?

- Pode deixar, meu amor... - Jack sorriu. - Vou ali, deitar um pouco no sofá para descansar... Sabe, Pablo, para mim, a pior coisa do mundo é subir no palco sem dormir um pouco antes, minha voz nem sai da garganta...

- Eu também fico um "caco" quando não durmo... nem enxergo direito...

- Ela está tão linda hoje... - Jack suspirou antes de deitar-se no sofá.

- Ela é linda, senhor Noble... uma estrela de verdade...

- Estão falando mal de mim, por acaso? - Clara disse rindo, ao sair do banheiro, vestindo seu robe e carregando as roupas nas mãos.

- Ah, meu amor... você sabe que não consigo fazer isso... - Jack sorriu. - Vem aqui, porque eu preciso te beijar, mas também preciso descansar um pouco e não vou levantar daqui para isso...

- Está bem, meu amor... - ela sorriu, caminhando até ele e beijando-o. - Você também precisa colocar suas roupas de show, amor...

- Daqui a pouco... agora vou descansar um pouco...

Clara sentou-se na cadeira próxima da bancada com espelho e foi penteada e maquiada por Pablo, que interrompeu seu serviço, apenas para abrir a porta para Sarah Hudson, a amiga de Clara, que voltava de um encontro com sua equipe de reportagem.

Enquanto Jack dormia no sofá, ela assistia o final da transformação de Clara em "Rainha da Luz", assim que Pablo ajeitou e prendeu  em sua cabeça com grampos,  o "diadema de Galadriel"; uma coroa de ouro branco, amarelo e diamantes usada por Cate Blanchet durante as filmagens da Trilogia "O Senhor dos Anéis"  e depois dada a ela pelo amigo Mick Jagger, que comprou-a em um leilão.

- Perfeita! - Pablo disse olhando-a pelo espelho. - É mesmo um desperdício você não ser realeza, querida... você fica tão linda com essa coroa na cabeça...

- Obrigada, querido... - Clara suspirou. - Há tanto tempo não me sinto assim, tão bonita...

- Você não está bonita, amiga... você está linda... Posso te mostrar para o Jo?

- Claro, querida, pega meu tablet ali, naquela mesinha perto do Jack...

- Querida, quer que eu já amarre esse colar lindo no seu pescoço? - Pablo sorriu abrindo a caixa onde estava a joia desenhada por Jack. - Nossa, querida... acho que nunca vi nada tão lindo...

- Meu marido mandou fazer para mim... foi ele quem o desenhou...  fiquei tão emocionada quando ele me deu...

- Bom, querida... está pronto! Vou para o meu camarote, porque o show começa daqui uns 20 minutos... Você está maravilhosa...

- Obrigada, querido... foi obra sua... você me deixou assim...

- Você está linda, querida... como dizem os franceses... "Merde!"

- Obrigada, Pablo... nos vemos daqui a pouco, na festa... - ela disse dando um beijo no rosto do cabelereiro.

- Oi Jo... a Clara está quase pronta para o palco... - Sarah disse assim que o cabelereiro saiu do camarim.

- Oi Sarah... me mostra, que eu quero ver...

- Se prepara... um, dois... - Sarah virou a câmera para Clara que acenou para o amigo. - Olha que linda...

- Puxa! Você está linda amor! - Jo sorriu do outro lado da tela. - Mas ainda não se vestiu...

- Não... acabei a maquiagem, o cabelo e as jóias,  daqui a pouco vou ajudar meu marido a se vestir e daí, ele me ajuda a entrar no figurino...

- Mas é só trocar de roupa, Clara Oberhan... não vai ficar aí de "saliência" com seu marido, que o show vai atrasar...

- O show não vai atrasar... aliás... daqui uns dois minutos vou acordar meu marido e nós dois vamos ficar prontinhos...

- Olha, amor... eu te desejo todo o sucesso do mundo... queria muito estar aí agora para te abraçar... ah... estou com tantas saudades das nossas conversas... das reuniões de diretoria lá no barzinho perto do seu apartamente...

- Eu não quero chorar... mas você não está ajudando, agora!

- Para já com isso... vai borrar toda a maquiagem... Sarah, faz alguma coisa... impede essa louca da sua amiga de chorar...

- Vou pegar um copo d'água para ela... Calma amiga, pega o tablet e pensa em outra coisa...

- Isso, amor... lembra daquele tempo em que nós eramos duros e precisavamos esperar amanhecer para pegar o metrô, na hora de voltar para a balada...

- Ah... para... amor... é melhor eu desligar, até daqui a pouco... meu celular está tocando... beijos, amor... daqui a pouco a gente se fala...

- Beijos amor... arrasa!

- Oi Clara... acabamos de chegar... você acredita que o David pediu ao Peters para não nos deixar entrar? - Cindy disse ainda indignada com a atitude do marido. - Ele disse que vão liberar nossa entrada nos bastidores só no final do show...

- Ué? Por que? Quer que eu fale com o David?

- Não... já falei com ele... falou que estamos muito atrasadas,  que o show já vai começar e  que estaremos mais confortáveis vendo o show daqui do camarote... aliás, sua família também está aqui...

- É... eu sei... já conversei com eles...

- Como estão as coisas aí?

- Ótimas... o Jack está no meu camarim, dormindo... daqui a pouco vou acordá-lo para que ele troque de roupa para o show...

- Querida, eu e a Jen desejamos tudo de bom para vocês nesta estreia... nós te amamos...

- Obrigada, queridas... vocês sempre foram maravilhosas comigo e estarei esperando o final do show para que possamos conversar mais... beijos... 

- Beijos... vou acordar o Jack agora...

Clara desligou o  celular, bebeu o copo de água que a amiga trouxe, despediu-se dela, na porta do camarim e depois, concentrou-se muito para não chorar, enquanto caminhava até o sofá para acordar Jack para o show.

- Amor... está na hora... - ela sussurrou suavemente no ouvido dele, vendo-o abrir os olhos e bocejar.

- Ué? Para onde foi todo mundo?

- Faltam só 15 minutos para o show... estão todos a caminho dos seus lugares... você sabia que o David mandou barrar a Cindy e a Jen?

- Ele está mais nervoso do que eu e você juntos... além disso, eu ouvi ele dizendo que se elas viessem para cá muito tarde,  não as deixaria entrar... não liga, ele é assim mesmo...

- Fiquei com pena delas... mas vendo pelo lado de vocês, talvez seja melhor para concentrar-se no show, não?

- Com certeza... Espera... vem aqui... - ele disse puxando-a pela mão para sentar-se no sofá. - Eu quero te dizer que, eu te amo muito e não importa o que possa acontecer naquele palco hoje, você e eu somos para sempre... - ele disse tirando do bolso uma caixa de jóias.

- Amor... eu... não posso chorar... vai destruir a minha maquiagem... - ela disse abrindo a caixa e encontrando dentro dela uma pulseira de diamantes ainda mais linda do que todas as que já tinha ganho dele. - Meu amor... que coisa mais linda....

- Eu mesmo escolhi desta vez... se você não gostar...

- Ah, meu amor... é claro que eu gosto, olha só que linda... - Clara colocou a pulseira em seu braço direito. - Fecha para mim, amor... Obrigada... Eu te amo... eu te amo... - ela disse beijando-o. - Obrigada... você é maravilhoso comigo, me mima tanto que tenho medo de estar sonhando...

- Meu amor... hoje é o dia... sei como você está se sentindo agora... com medo de subir lá, de tropeçar e uma porção de outros medos que quase te paralisam e prendem a tua voz aqui na garganta... eu senti esses medos por toda a minha vida. Não adianta tentar fugir deles, eles estarão escondidos na próxima esquina, esperando por você, não importa o que faça... o melhor é respirar fundo, beber um ou dois goles, para relaxar e fazer cada uma das coisas que precisa com tranquilidade, vivendo o momento... você vai ver... lá em cima é um mundo aparte, você vai sentir o calor daquele oceano debaixo dos seus pés e a energia dele vai te envolver e jogar para cima, mesmo assim, você não conseguirá nem enxergá-los direito... e quando tudo acabar... você vai descer do palco querendo mais... e um dia, você vai se pegar desejando poder passar o resto da sua vida lá em cima, porque vai perceber que aqui embaixo não existe nada de tão maravilhoso quanto aquela sensação...

- Mas existe... existe você... e existe o amor que eu sinto por você, Jack... Obrigada... eu sei que nunca vou me esquecer desse momento que estamos vivendo... e embora eu não possa chorar agora, porque se o fizer minha maquiagem vai derreter completamente... - ela disse sentindo as lágrimas escorrendo pelo seu rosto. - Eu preciso dizer que este momento é um dos mais lindos da minha vida.

- Calma, meu amor... não chora... eu queria agora soar como o velho profissional, dando dicas para a novata que está começando no trabalho hoje, mas não consigo... Ah, Menininha... esse é também um dos momentos mais lindos da minha vida e eu já vivi tanto... você me emociona e eu te amo... muito... - Jack disse beijando-a apaixonadamente, os dois derretendo-se nos braços um do outro, movidos por um amor que só fazia crescer.

Continua

Nenhum comentário: