16 de abr de 2013

Rockstar - Capítulo CXXX



- Princesa! - David gritou do fundo da sala. - Você conseguiu!!! E ai, Velhão? Melhorou?

- Eu tenho um anjo ao meu lado... - Jack sorriu e beijou Clara na testa. - Ela foi lá no fundo do poço me buscar e me trouxe...

Clara caminhou até sua amiga Sarah, procupada com seus pais, que tinham acabado de chegar na Arena.

- Já ligo para eles, amiga... - ela disse pegando o celular das mãos de Sarah. - Obrigada... estou me sentindo tão culpada por eles não estarem aqui...

- Ah, querida... uma coisa por vez... eles estão tranquilos lá, confortáveis... as coisas seriam bem mais complicadas com eles aqui dentro, não seriam? Imagina eles verem o Jack daquele jeito que ele estava... seu pai já não gosta dele...

- Eu sei, amiga... mesmo assim, me sinto tão culpada por não poder dar a atenção que eles merecem...

- Está tudo bem, Jack? - Mick aproximou-se de Jack e de Clara.

- Está, amigo... graças ao meu amor... - Jack sorriu. - Sabe... se ela não estivesse aqui, eu não sei o que aconteceria comigo...

- Ela é encantadora... - Mick suspirou. - Me perdoa, amigo, mas não consigo deixar de amá-la...

- Eu sei... quem conseguiria? - Jack abraçou Mick. - Vai ficar tudo bem, cara...

- Do que vocês estão falando? - Clara aproximou-se dos dois com uma expressão em seu rosto que indicava que estava quase em pânico, preocupada com a possibilidade dos dois começarem uma briga de ciúmes ali, na frente de todos.

- Vem aqui, meu amor... - Jack sorriu, puxando-a para seus braços. - Eu te amo...

- Ela é linda demais... - Mick sorriu. - Como você está, minha querida?

- Bem... Agora está tudo bem... preciso contar  uma coisa para  vocês dois... quando saí daqui atrás do Jack, passei pelo palco... e foi só pisar lá que fiquei toda arrepiada...  foi incrível, meu coração disparou... estou emocionada até agora...

- É... não tem jeito, Jack... temos uma estrela nas mãos... - Mick sorriu acariciando o rosto de Clara e abraçando-a.

- Está certo, meu amor... vai ser lindo ter você lá comigo... a nossa estrela, Mick... - Jack juntou-se ao abraço dos dois. Uma cena que chamou atenção de todos na sala, preocupados com o que estavam vendo.

- Vamos passar a música, Velhão? Mick? - David gritou do outro lado do camarim. - Eu sei que a Princesa é linda, mas nós precisamos trabalhar...

- Verdade, queridos... estou louca para vê-los cantando juntos... - ela disse beijando os dois homens no rosto, antes de ir sentar-se em uma poltrona junto com Sarah.

-  Ai, eu amo esses dois... - Clara suspirou. - E você, se prepara para ter uma das experiências musicais mais lindas da sua vida...

David e Keith tinham agora violões nas mãos e combinavam uma versão acústica para os dois blues de Robert Johnson que íam apresentar naquela noite; Michael Silver mandou um roadie ir atrás de seu baixo acústico e logo a banda estava completa no camarim, com a chegada do baterista Paul Clarke, que acompanharia a música com um dos pandeiros de Jack.

- Amor... - Jack chamou Clara para sentar-se mais perto dele e sussurrou em seu ouvido. - fica perto de mim... preciso de você...

Clara beijou-o. - Eu te amo... - ela sussurrou em seu ouvido.

- 1, 2, 3... 1, 2, 3, 4... - contou David e a música encheu a sala. Aqueles gênios juntos, fizeram uma versão linda de "Love In Vain", o velho blues que Clara amava há muito tempo e que a deixou novamente, com os olhos cheios de lágrimas. Mas desta vez, o choro era de pura emoção. Aquele era outro momento maravilhoso que ela vivia.

Sarah, amiga de Clara, também estava emocionada e com a forte impressão de que vivia um sonho. Ela  sentia-se frustrada por não poder mostrar ao mundo toda aquela beleza, mas estava feliz pelo privilégio de estar naquela sala, cercada por aquelas pessoas tão admiráveis.

- Meu Deus... - ela sussurrou no ouvido da amiga. - Isso é lindo demais...

- Eu sabia que você ía gostar... - Clara sorriu.

- Queria poder gravar tudo e mandar para a emissora...

- Ah, mas isso destruiria todo encanto... - Clara sorriu. - Eu também tenho vontade de dividir isso com o mundo... mas uma câmera aqui dentro complicaria tudo... assim que o Peters descobrisse, ele viria para cá como um raio e toda a equipe dos Stones também... e tudo o que você conseguiria seria uma enorme dor de cabeça... eles são praticamente prisioneiros dessa gente, advogados, empresários, gravadoras... ninguém aqui nessa sala faz o que quer... e se fizer... alguém vai exigir um pagamento por isso. Mesmo que eles não liguem, nem sequer estejam pensando em dinheiro agora, toda a estrutura em volta não sossegaria enquanto não recebesse cada centavo...

- Não tinha pensado nisso... só queria que as pessoas pudessem ver  esse momento tão lindo que estamos testemunhando...

- Ah, querida... espera um pouco...  Jack, querido... posso gravar vocês para meu arquivo?

- Sem problemas meu amor... Mick, Keith? Tudo bem?

- Tudo, querida... só não publica porque... bem... já conversamos sobre isso, não?

- Eu sei... só quero gravar para mim, como lembrança...

- Então vá em frente, Princesa... - Keith sorriu. - Depois você me dá uma cópia?

- Claro... copio para todos vocês...

- Obrigada, Princesa!

Clara pegou sua câmera fotográfica na bolsa e passou a gravar em vídeo, enquanto a banda passava pela segunda vez a música "Love In Vain"; definindo melhor o arranjo e combinando cada solo.

- Ah, como eu amo vocês! - Clara disse emocionada assim que eles terminaram de tocar. - A gravação está linda... vou copiar para todos...

- Vamos passar a "Crossroads" agora? - David perguntou. - Vai ser acústica também, não é?

- Vai sim... - Jack sorriu. - O que você acha, Mick? Eu queria um andamento mais lento... toca um pouco para eles Dave, daquele jeito que você fez no outro dia...

Clara gravou em vídeo também a segunda música, um dos maiores clássicos do blues, a mesma que serviu de inspiração para David Mersey na hora de batizar a banda que ele formou no final da década de 60. Um grupo bastante improvável de músicos que tomou o mundo musical de assalto durante uma década, mas que terminou de forma trágica e repentina, com a morte de Richard Donovan, em um horrível acidente de carro.

Depois de passar a música, David e Jack seguiram pelos corredores da Arena mais uma vez, atrás de Michael Peters, estavam impacientes e preocupados com a hora do show que se aproximava rapidamente; enquanto Keith conversava com Michael Silver e Mick aproximava-se de Clara.

- Será que podemos conversar um pouco, querida? - Mick disse pegando-a pela mão.

- Podemos sim... Sarah, vou até meu camarim para falar com o Mick, se alguém me procurar, diz que estou com meu celular..  já volto...

- Vou sair também, preciso  falar com meu cinegrafista... desculpa... - Sarah sorriu sem graça.

-  Tudo bem... - Clara sorriu. - Preciso conversar com o Mick...

- Vai lá, querida...

Os três saíram do camarim e seguiram em direções opostas no longo corredor da Arena.

Mick e Clara foram até o  camarim com a estrela dourada na porta, entraram, trancaram a porta e foram direto para o sofá, onde se sentaram. - Como você está, querida?

- Bem... - ela suspirou. - ah, querido, o dia de hoje está sendo difícil demais  para mim... e você? Como foi com a Gianna?

- Eu gosto muito dela, você sabe... mas ela ainda está com muitos ciúmes... não conseguimos nos entender, ela enlouqueceu quando soube que eu estava passando uns dias na sua casa...

- Você não deveria ter contado isso para ela, Mick...

- Ela me provocou e eu tive que ser sincero... você sabe como ela é...

- Sei... - Clara sorriu. - Então vocês não voltaram...

- Não... ela até me devolveu o anel... olha só... - Mick disse, abrindo a caixinha com o belo anel de diamante, que Clara o tinha ajudado a escolher. - É uma pena...

- É mesmo... Você está triste?

- Não... um pouco desapontado comigo mesmo, mas não consigo ficar triste, com você ao meu lado... - Mick disse, beijando a mão de Clara. - Só uma coisa não muda, meu amor por você...

- Ah, meu querido... - Clara suspirou e acariciou o rosto de Mick. - Eu te amo... mas... é tão duro amar dois homens ao mesmo tempo... eu me sinto tão culpada quando estou com você...

- Eu sei, meu amor... eu sei... eu sinto muito... é maravilhoso quando estamos juntos, mas eu sei o quanto essa culpa te machuca... ah, minha querida... eu te adoro... você é minha melhor amiga, sabe... aquelas coisas que eu sonho, aquelas ideias que aparecem do nada na minha cabeça... eu fico sempre louco para poder te contar... meu coração é seu... e como já te disse muitas vezes, sou seu e farei o que você quiser...

Continua


Nenhum comentário: