28 de mar de 2013

Rockstar - Capítulo CXXV

 


Diferente do ambiente tranquilo e organizado que encontraram de manhã, a O2 Arena e suas proximidades agora fervilhavam. De dentro do carro, Clara sentia a expectativa das pessoas que caminhavam pelos arredores, juntando-se às enormes filas já formadas na entrada.

Mesmo com as regras severas de segurança, que incluiam detectores de metal e revista corporal na porta, muitas pessoas passavam pela limusine carregando garrafas e latas de bebida alcoolica, que consumiam no caminho e na fila, já sabendo que seria proibido entrar na Arena com eles.

No meio da multidão, aqui e ali, Clara sorria ao ver diversas bandeiras do Brasil, carregadas por pessoas de todas as faixas etárias e de todos os tipos. Sabia que a colônia brasileira em Londres era numerosa, mas também que muitas pessoas tinham vindo especialmente para a apresentação, desfilando com camisas da seleção brasileira e dos mais diversos times de futebol do país.

- Olha amor... quantos brasileiros na fila... - Clara apontava para Jack sabendo que estavam protegidos pelos vidros escuros do carro. - Acho que estaria entre eles se não tivessemos nos conhecido...

- Se você não estivesse aqui, isso não estaria acontecendo, Princesa.... - David sorriu. - Há muito tempo eu tentava conversar com o Jack sobre a banda e ele nem parava para escutar... e olha que os empresários que estavam sempre ao redor faziam ofertas cada vez mais altas... ele desligava o telefone na minha cara ou saia andando e me deixava falando sozinho... você conhece seu marido, não?

- Conheço... ele sempre sai andando... me deixa falando sozinha....

- Mentira, Menininha... só quando você me enlouquece... - Jack riu. - Mas você também já fez isso algumas vezes... - Jack imitou a voz de Clara, pegou sua bolsa e colocou-a no ombro. - Vou para o Brasil... agora...

- Ah amor... eu não sou assim...

- Claro que não... você, quando faz isso, parece um anjo... eu me pareço com um homem das cavernas...

- O Jack tem razão, Princesa... - David riu. - Já assisti esse filme algumas vezes... e só digo uma coisa, ainda bem que podemos rir disso tudo agora, porque quando está acontecendo... me dá um medo enorme, parece que o Velhão vai morrer... de verdade... vocês se gostam tanto... não entendo tanta complicação...

- Nem eu entendo, David... mas elas acabam acontecendo... - Clara suspirou. - Espero que  algum dia elas acabem...

- Eu também, meu amor... - Jack pegou as mãos de Clara e beijou-as. - Vamos conseguir... tudo vai ficar para trás... você vai ver...

Com alguma dificuldade, a limusine conseguiu entrar no estacionamento da Arena e os três puderam finalmente descer. Michael Peters esperava por eles na entrada e antes de embarcar no carrinho de golfe que os levaria até os camarins, Clara pediu a Peters que sua amiga Sarah Hudson recebesse um backstage pass e fosse guiada até o camarim assim que chegasse.

- Amor, estou indo até o palco com o Dave, quer ir conosco?

- Não, querido... vou dar uma olhada na internet e ligar para o Jonas, ver como estão as coisas lá em casa...

- Clara, querida... o seu cabelereiro está te esperando no camarim... - Peters sorriu.

- Ótimo... - Clara sorriu. - Então acho que vou arrumar meu cabelo, queridos... daqui a pouco eu procuro vocês... E se a Jenni ou a Cindy chegarem, manda elas lá no meu camarim...

- Ok, Princesa... pode deixar... - David sorriu e deu um beijo na testa de Clara.

- Oh Cara... fica longe... - Jack disse puxando Clara para longe do amigo. - Meu amor... eu te amo... - Jack beijou-a na boca e seguiu Peters e David pelos corredores que levavam ao palco, enquanto Clara entrava em seu camarim para encontrar-se com Pablo, seu cabelereiro.

- Amor! Que luxo isso aqui!

- Você viu? Ah, querido... obrigada por aceitar me arrumar durante a turnê... eu nem sabia... os rapazes da Crossroads me fizeram esse carinho de chamar você...

- Ah, querida... fiquei lisonjeado com o convite e acho que será muito bom estabelecer uma parceria aqui com vocês... seu agente é um cara muito bacana, acho que vai ser lindo viajar pelo mundo com vocês...

- Eu fiquei muito feliz quando eles me disseram... então... o que você vai fazer com os meus cabelos?

- Bom... eu acho que precisamos um cabelo de fada... o Peters me mostrou o videoclipe que vocês gravaram e eu pensei em um cabelo como aquele... você sabe que também farei sua maquiagem, não?

- Sei, querido... quero que você me deixe com uma cara saudável... fiquei doente há poucos dias, já estou me recuperando, mas ainda me sinto tão feia...

- Feia? Amor... tá maluca, né? Olha ali no espelho, querida... você é linda...

- Não me sinto linda, Pablo... estou muito magra e já vi pessoas comentando na internet que querem parar de comer para ficar como eu... fiquei tão chateada com isso...

- Amor... não liga... finge que não está vendo... essas garotas são loucas...

- Mas eu me sinto responsável... eu estou assim porque tenho um problema grave de anemia... se eu não me cuidar, acabo morrendo de inanição...

- Sério, amor... eu te achei mesmo mais magrinha, mas pensei que era alguma coisa de dieta... para a turnê...

- Não, querido... eu não faço dietas... eu tenho um problema genético e quando ele se desequilibra, eu perco muito peso e posso até morrer de inanição... estou me tratando agora, mas nos últimos dias cheguei a ficar sem forças  até para ficar de pé... tiveram que me internar, para fazer transfusão de sangue...

- Amor... que terrível... fico triste por você, querida... mas agora, você está bem?

- Estou me tratando, mas tem uma ambulância só para mim lá fora, caso eu me sinta mal...

- Pelo menos você tem tudo nas mãos, não é querida...

- Com certeza... se fosse pobre, provavelmente já estaria morta... quando minha anemia se desequilibra, posso comer igual a um lenhador e mesmo assim,  continuar emagrecendo....

- Pobrezinha... mas vamos te deixar linda hoje... essa sua produção é um luxo... me mostraram o vestido que você vai usar hoje... é tão lindo...

- Tive que mandar apertar todos os meus figurinos... ah! Eu trouxe comigo também um vestido de festa para depois do show... está aqui na minha mala... olha que lindo... o Jean Paul me mandou hoje... já está com as minhas medidas novas... Ele é sempre muito carinhoso comigo...

- Amor, não conheço ninguém nesse mundo que não goste de você...

- Você é um querido, Pablo! - Clara sorriu. - Mas tenho certeza que tem uma porção de gente que preferia ver o Jack solteiro, como era antes...

- Amor... ele te adora tanto... acho vocês dois  lindos juntos... não é a toa que a mídia fica tão enlouquecida...

Um funcionário da  Arena bateu na porta e Pablo parou de cuidar dos cabelos de Clara para abrir. - Senhora Noble, chegaram estas flores para a senhora...

- Obrigada... coloque-as por aí, já vou vê-las... - ela respondeu ao rapaz muito tímido que empurrava um grande carrinho cheio de flores para dentro do aposento.

- Não disse que as pessoas te amam... olha só, que coisa mais linda... te mandaram um jardim inteiro...

- As pessoas são muito boas para mim, querido... posso levantar para pegar os cartões?

- Claro, amor... vai lá... vou também... quero ver tudo isso de perto...

Clara foi olhando um a um os cartõezinhos dos lindos arranjos, todos enviados por amigos e o maior e também mais bonito, veio com um cartão que Clara pegou rapidamente e escondeu no bolso para ler mais tarde porque não queria que Pablo soubesse.

- Meu amor...  todo mundo te ama... olha só...

- Queria que isso fosse verdade, Pablo...

- Pronto... seu cabelo vai ficar assim, preso nesses rolinhos... eu vou conversar com o Peters,  porque ele me pediu e volto aqui daqui a pouco com a minha manicure, que vai fazer sua mão... mais tarde, na hora do show, eu venho até aqui  para soltar e ajeitar seus cabelos e prender aquela coroa linda, aí fazemos também a maquiagem... você vai arrasar, meu amor...

- Obrigada Pablo... acho que vou ligar para uns amigos e depois vou ver o que os rapazes estão fazendo...

Assim que Pablo deixou-a sozinha, ela pegou o cartãozinho de Mick em seu bolso para lê-lo: "Meu amor, meu coração te deseja todo o sucesso e a melhor das estreias para você. Que as multidões possam ver a luz do seu talento e te levem ao topo do mundo. Do seu para sempre, Mick."

- Ah... como eu queria falar com você... - Clara suspirou em voz alta e beijou o cartão. - Vai ser tão difícil te deixar ir... mas eu preciso que você vá.... ou vou enlouquecer... Já enlouqueci... estou falando com um cartão...

Como tinha prometido para seu amigo Jo, ela aproveitou que estava sozinha e chamou-o no Skype.

- Oi querida... como estão as coisas?

- Ótimas... quer dizer... estou aqui, no meu camarim exclusivo, sozinha, com os cabelos ajeitados pelo meu cabelereiro exclusivo, recebi uma porção de flores lindas... mas estou me sentindo a mais solitária das criaturas...

- Ah, amor... calma... onde está seu marido?

- Não faço ideia... estou com vergonha de andar por aí com esse cabelo todo preso em rolinhos...

- Pára de ser boba... vai lá atrás do seu bofe... será que ele não está lá com a ex? Porque não é possivel que ele ainda está ajustando o equipamento... e se ele está lá no outro camarim ajustando ela?

- Não acredito que ele faça isso... não hoje... não depois da briga de hoje de manhã...

- É, querida... você é ciumenta mesmo... que barraco foi aquele... 

-  Fiquei morrendo de vergonha, mas não consegui me controlar... não suporto vê-lo perto daquela biscate...

- Hum... que bravinha! - Jo ria da amiga, do outro lado da tela. - Mas você tinha me prometido mostrar o camarim todo, amor...

- Ah... vou mostrar... vou começar com uma coisa que está aqui no meu bolso... - Clara colocou na frente da câmera o cartão que Mick mandou junto com as flores. - Agora me diz... onde vou arrumar forças para me afastar dele, quando tudo o que eu quero é beijá-lo...

- Mas você vai mesmo dispensar ele?

- Tenho que dispensar... eu estou sentindo que preciso fazer isso, pelo meu casamento... disse isso hoje ao Jack... aliás, queria resolver isso ainda hoje, mas ele se mandou... disse hoje de manhã que ia sair com a ex dele e que só nos veríamos depois do show, porque ele viria para cá com ela...

- Ah tá... entendi agora... você quer mandar ele embora porque está com ciúmes...

- Não... não estou com ciúmes... é uma coisa que estou sentindo que preciso fazer... pensa bem... daqui uma semana, faz três meses que me casei com o Jack e já fui para a cama duas vezes com o Mick... isso está muito errado... estou muito apaixonada por ele e não posso estar... entendeu?

- Não entenderei nunca, amor... quem disse que você só pode amar um homem?

- Minha vida está ligada a vida do Jack... nosso casamento é para sempre... eu quero ter um filho dele...

- Já sei... aquele misticismo todo... sua alma gêmea... mas amor... o que importa é o que você sente quando está com ele...

- Eu o amo muito...

- Então, boba... fica com os dois... e quer saber o que eu acho mesmo? Você quer ficar com o Mick e ficou doente porque não se conforma com isso... se sente culpada por transar com ele... ufa! Consegui falar!

- Você acha mesmo isso?

- Tenho certeza... eu te conheço... você ficou toda impressionada com os tais  sonhos, mas o fato de vocês terem tido uma outra vida juntos, não significa  que precisam ficar juntos para sempre...

- Significa sim... - Clara respondeu ríspida, irritada com a insistência de Jô. - Tem que significar...

- Não significa, não... Mais uma vez você vai se jogar na mesma armadilha, eu sei que você gosta dele, mas gosta do Mick também... E se o Mick for o tal do grande amor? Eu não acho que você deve ficar presa ao Jack só por que se casou com ele e muito menos por causa dos sonhos...   nada é pra sempre.... nada...

- Não fala assim... - Clara começou a chorar sentia-se mais nervosa e mais culpada a cada minuto que passava. - Eu não vou ficar mais aqui ouvindo isso, Jo... o dia de hoje está sendo difícil demais para mim... eu não consigo nem imaginar a minha vida sem o Jack...

- Então fica com os dois, querida... mas você precisa se livrar da culpa, ou ela vai continuar te deixando doente...

- Eu estou muito confusa ainda, não sei o que eu quero... e isso está me matando, Jo... - Clara disse chorando ainda mais. - Vou desligar, isso não pode acontecer comigo, não hoje...

- Querida... calma... respira fundo, lava o rosto e vai atrás do seu marido... não fica aí sozinha... não é bom... e me perdoa... acho que errei a mão, não deveria dizer essas coisas em um dia em que você já está tão nervosa... meu amor... não fica assim ou vou mandar a imigração americana às favas para ir até aí no próximo voo... - ele disse chorando também.

- Eu te amo, Jo... obrigada por me dizer a verdade... eu precisava ouvir... - ela respondeu secando as lágrimas com as mãos. - Nos vemos mais tarde, quando estiver no meu figurino de "Rainha da Luz" e se você me prometer ser um bom menino e não mandar nada para o Youtube, vou te mostrar um pouco do show da Crossroads e pedir para alguém te mostrar a minha música... você tem certeza que precisa mesmo desse passaporte americano? Vem morar em Londres querido... te dou um apartamento onde você quiser...

- Amor... calma agora... falta só um pouquinho... logo a gente vai rir disso tudo em Paris... te amo... até daqui a pouco...

- Tchau querido...

Clara guardou seu tablet, foi até o banheiro lavar o rosto e ajeitar-se um pouco antes de sair pelo labirinto de corredores da arena, atrás de Jack. Não queria perturbá-lo, mas precisava do conforto de estar perto dele e de seus braços, para envolvê-la e acalmá-la.

Continua


Nenhum comentário: