2 de fev de 2013

Rockstar - Capítulo CV


- Então, Jack... como eu estava te dizendo lá no hotel, sua esposa é ainda mais bonita pessoalmente... sou muito fã dos seus livros, Clara... - Jane Collins aproximou-se dos três, enquanto procuravam os lugares reservados para sentarem-se.

- Obrigada... - Clara sorriu.

- Ela é linda mesmo... ela não sabe, mas não tem um segundo do meu dia em que eu deixe de pensar nela,  desde que a conheci...

- Ah, querido... - Clara beijou-o no rosto.

- Vocês formam um belo casal...

- Sara... - Jack puxou a amiga de Clara de lado, aproveitando que ela estava distraída por alguns momentos ouvindo Jane Collins falar. - Me ajuda a fazê-la comer... ela não tem comido quase nada nos últimos dois dias...

- Claro, Jack... - ela disse rapidamente, tentando evitar que Clara percebesse.

- Velhão... lembra daquele sushi que a gente comeu aqui? - David perguntou do outro lado da mesa.

- Lembro... muito bom... você lembra qual era?

- Lembro sim... é este aqui que está no topo do  menu... dá uma olhada... vou pedir ele de novo...

- Amor... esse sushi de que o Dave está falando é maravilhoso... vou pedir para nós dois... você vai gostar.... Você gosta de sushi, Sara?

- Muito... eu e a Clara não saíamos do restaurante japonês, lembra?

- Lembro sim..

Aos poucos e com a ajuda de Jack, suas amigas e um pouco de champagne, Clara foi relaxando novamente. Jane Collins, a groupie que a tinha deixado com tanto ciúme, contou histórias divertidas sobre Jack que ela certamente usaria em seu livro.

Ela sentiu-se completamente envolvida pelo carinho de Jack, que não a abandonava nem por um segundo, preocupado em vê-la feliz novamente. Mas depois de algum tempo, como era costume entre aquele grupo de amigos, a mesa estava dividida, mulheres de um lado e homens do outro.

- Clara, desculpa pelo que aconteceu lá na coletiva... - Jane Collins disse depois que Jennifer trouxe novamente o assunto que já estava esquecido. - Foi um repórter que me pediu para fazer aquilo...

- Não tem problema, Jane... na verdade, eu nem vi nada... estava na sala de apoio com meus amigos... não foi, Sara?

- Sim... nós pedimos para te chamar e atrapalhamos tudo... - Sara sorriu.

- Clara, amanhã você tem algum compromisso? - Jennifer perguntou. - Eu e a Cindy estamos combinando de ir fazer umas compras...

- Desculpa, queridas... vou me encontrar com a Sara e o João... meus colegas que encontrei hoje para colocarmos os assuntos em dia... a que horas vocês vão?

- De manhã... lá pelas 11 horas... os rapazes estarão mesmo presos nas entrevistas... você sabe que eles vão passar o dia todo no Plaza, não?

- Sei... e estou com muita pena deles... - ela disse limpando as lágrimas... - desculpem, acho que é o champagne e o jet leg...

- Também estamos cansadas querida... mas é Nova York e já estamos em novembro... precisamos começar a comprar antes que não sobre nada de bom...

- Verdade... - Clara sorriu. - Daqui a pouco já estamos no Natal e sinceramente estou com medo de não ter tempo para nada...

- Vocês já sabem onde passarão as festas neste ano, querida? - Cindy perguntou.

- Acho que em casa... a Kate estará conosco, o Pequeno Jack... acho que nosso Natal será em família... tem o outro filho dele, a irmã...

- Eu e o Dave vamos passar o Natal com a minha família, em Newcastle... - Cindy sorriu. - Os filhos do Dave moram aqui na América, normalmente nós vamos visitá-los no Ano Novo... e passamos o aniversário do Dave por aqui,  junto com eles, no começo de Janeiro.

- Que bom! 

- Eu e o Mike passamos as festas em Paris... a família toda vai para lá... é sempre muito bom...

- Para mim, será estranho... minha família está toda no Brasil... acho que terei que dar um jeito de  levá-los para Londres... mas ainda não conversei sobre isso com o Jack... - Clara sorriu e olhou para o marido, que respondeu ao olhar, mandando-lhe um beijo.

- Você é ela, não? - Jane interrompeu a conversa com uma pergunta.

- Ela quem? Não entendi... - Clara sorriu.

- Você não leu meu livro, leu? - Jane perguntou. - Nenhuma de vocês leu...

- Desculpa, querida... não li... - Clara sorriu.

- Uma das histórias que eu conto lá é sobre o momento em que eu percebi que o Jack nunca seria meu de verdade... eu era uma menina boba naquela época... e me apaixonei perdidamente por ele... para mim, eu estava vivendo um romance com um verdadeiro príncipe encantado... um dia... eu estava com ele lá no hotel que era a casa deles em Los Angeles e ele acordou chorando... eu perguntei o que ele tinha, se estava com saudades da Mary... e ele me disse que tinha sonhado com a ninfa do bosque e que ela era a mulher da vida dele... achei que ele estava drogado ou alguma coisa parecida porque passou os próximos três ou quatro dias muito triste, distante... nada o alegrava... Você é a ninfa do bosque, não é? O jeito como ele te olhou agora mesmo,  você só pode ser ela...

- Eu não sei, Jane... eu só sei que o amo muito... ele é a minha própria vida... - Clara disse sentindo seus olhos enchendo-se de lágrimas novamente.

- Tenho certeza que você é a ninfa do bosque... - Jane sorriu. - Querida... ele esperou toda a vida para te conhecer...

- Eu sei... - Clara começou a chorar abertamente. - Desculpa, eu estou muito emotiva hoje... vou lavar o rosto, devo estar toda borrada novamente...

- Vou com você, querida... - Sara disse levantando-se junto com Clara e as duas caminharam até o banheiro feminino.

- O que está acontecendo, Clara... - Sara perguntou. - Você mal tocou a comida e está tão triste... você nunca foi assim...

- Me perdoa, querida... meu coração está partido... eu trai meu marido...

- O que?

- É isso o que você ouviu... há dois dias o Mick foi até minha casa em Londres e nós transamos... contei tudo para o Jack e ele me entendeu, me envolveu em carinho, mas eu estou me sentindo uma monstra, não consigo me perdoar... é isso... - ela disse abraçando a amiga e chorando ainda mais.

- Calma, querida... você não pode ficar se culpando assim... se ele entendeu, está na hora de você se perdoar...

- Não consigo... daqui uns dias nós todos vamos para o castelo do Mick, em Nice e... eu não sei o que pode acontecer lá... entende...

- Mas você ama o Jack, não ama?

- Eu amo o Mick também... estou muito envolvida com ele... o que eu faço?

-Você está me dizendo que ama os dois?

- Sim... eu amo o Jack desde o momento em que o conheci... e o Mick... primeiro, ele tentou me seduzir, me queria de qualquer jeito... mas com o tempo, comecei a me apaixonar por ele... até eu não coseguir mais me controlar...

- Amiga... então aquela história dos tablóides....

- É verdade, mas eles não sabem de tudo, nós tinhamos transado naquele dia, de manhã e ele foi ao restaurante para me ver, antes de vir para cá...

- E o que você vai fazer?

- Eu preciso tentar esquecê-lo... porque estou sentindo uma dor insuportável agora por ter magoado o Jack... não tinha esse direito...

- Ah querida... não fica assim... se o Jack está bem com isso...

- Ele diz que está, mas eu sei que não está... você não sabe, ele fez uma cirurgia no sábado para desfazer a vasectomia e precisa passar duas semanas sem transar... agora, cada vez que ele se excita, sente dores terríveis...  foi o pior momento do mundo para que uma coisa como essas acontecesse. Eu estou destruindo a coisa mais importante da minha vida...

- Querida... não... as coisas vão se ajeitar... vocês pertencem um ao outro como eu nunca vi ninguém pertencer... ele te adora... calma... - Sara abraçou-a e ela chorou ainda mais. - Vai dar tudo certo... acredita em mim... vocês se amam... é só relaxar e ser feliz...

- Eu juro que estou tentando... - Ela disse em meio a muitas lágrimas.

Enquanto Sara tentava consolar Clara, Jennifer entrou no banheiro e ao vê-la chorando tanto ficou preocupada e decidiu que seria melhor chamar Jack para tentar acalmá-la.

Ele caminhou até ela e abraçou-a, gesticulando para que suas amigas os deixassem sozinhos. - Vem aqui, meu amor... eu estou aqui para você... sou seu...

- Me leva embora, amor... eu quero ir para o hotel... estou me sentindo muito mal...

- Está bem, querida... o que você quiser... eu amo você e quero... preciso te fazer feliz, minha vida... você me tem inteiro do seu lado... de verdade... - Jack disse beijando seu rosto e sua testa. Ele agora a agarrava, como se tivesse medo que  fugisse. - Me diz... o que você quer...

- Vou embora antes que eu destrua sua vida... não te culpo se você me odiar...

- Eu não te odeio, Clara... eu te amo... não consigo viver sem você... - ele disse começando a chorar desesperado por não conseguir acalmá-la.

- Me perdoa... não desiste de mim... por favor...

- Nunca... vem... vamos lavar o rosto... vamos para o hotel descansar...

- Está bem, querido...

Jack pegou-a pela mão, tirou o celular do bolso, ligou para David contando tudo que estava acontecendo e foi direto para a limusine com Clara. Ainda ofereceu carona para Sara, mas ela disse que pegaria um taxi para voltar para seu apartamento.

Continua

Nenhum comentário: