3 de jan de 2013

Rockstar - Capítulo CI

Clara agora estava ainda mais nervosa, o celular de Jack continuava desligado e ela não conseguia conversar com ele. Aquela mensagem a deixou ainda pior. - O que será que está acontecendo naquela casa?

- Não faço ideia, o Mike também desligou o celular...

- Eles devem estar no estúdio, tentando trabalhar querida... - disse Cindy, também desligando o celular depois de tentar ligar para David.

- Não estou entendendo mais nada...

- Oba! O trânsito está mais livre... vou dar uma acelerada agora, meninas... Vamos chegar logo!

Sentindo sua ansiedade quase explodir, Clara tentava agora acalmar-se ao ver a longa estrada estreita que levava até a porta de Heathcliff Hall aparecendo à sua frente. Uma chuva fina e gelada começava a cair, quando Cindy finalmente estacionou na porta da casa.

Embora não admitissem, Jennifer e Cindy também estavam preocupadas com o silêncio no telefone e as três desceram correndo do carro e entraram em casa.

- Dave... - Cindy chamou na sala de estar.

- Boa tarde, senhora... - respondeu o mordomo. - O senhor Mersey está na sala de música e pediu que as senhoras aguardem aqui...

- O que? O que está acontecendo nessa casa? - ela disse indo na direção do corredor que levava à sala de música.

- Por favor, senhora Mersey... seu marido vai brigar comigo se as senhoras forem até lá...

- Está bem... vou esperar aqui... mas vá chamá-lo agora...

-  Sim senhora...

- O que está acontecendo? Será que o Jack está com algum problema?

Enquanto elas esperavam na sala, ouviram um barulho vindo do corredor e quando foram até lá ver o que estava acontecendo, David vinha pelo corredor, rindo muito. - Desculpa queridas...

- O que está acontecendo aqui? Posso saber? - Cindy perguntou ao marido nervosa. - Por que não podemos ir até a sala de música?

- Nós chamamos uma enfermeira para trocar os curativos do Jack. - ele continuou rindo. - Mas deu um probleminha e tivemos que chamar o médico para ver o Velhão...

- Médico? - Clara disse em pânico. - Como ele está? Quero ver meu marido agora...

- Calma, Princesa... está tudo bem...

- Eu não estou entendendo mais nada? Que enfermeira é essa?

- Calma, querida, vou explicar... eu e o Mike chamamos uma stripper vestida de enfermeira para brincar com o Jack... mas ele começou a sentir muita dor e tivemos que chamar o médico para vê-lo... é isso...

- David! Eu não acredito nisso! Eu quero ver meu marido...

- E o Mike? Onde ele está? - Jennifer perguntou preocupada.

- Está com o Jack... O médico está cuidando dele agora... ele me pediu para não te deixar entrar... calma querida... confia nele...

- Que brincadeira mais sem graça, Dave! - Cindy disse muito nervosa. - Isso não se faz... ele acabou de fazer uma cirurgia...

Clara sentou-se no sofá com as duas mãos no rosto, chorando.

- Calma, querida... - Dave abraçou-a. - Está tudo bem... o médico está só trocando os curativos... fica tranquila... ele está bem...

- Ah... vocês não deviam ter feito isso... colocaram meu marido em risco...

- Não querida... ele só se animou um pouco demais com a moça....

- Como ele vai viajar agora? - Cindy perguntou preocupada.

- Mas está tudo bem, querida... o médico já deu um remédio para ele e disse que tudo está bem... que ele só ia trocar o curativo para ele ficar mais tranquilo...

- Está bem... vou esperar o médico sair... não posso fazer nada além disso...

Clara secou as lágrimas e ajeitou-se na poltrona, esperando ainda ansiosa, pela saída do médico para entrar na sala de música. Ainda ouvia David conversando com Jennifer e Cindy, mas não conseguia acompanhar o que diziam. Estava preocupada com Jack porque sabia que ele só concordaria em chamar o médico se estivesse muito mal.

- Será que você não pode ir lá ver o que está acontecendo? - Clara disse depois de esperar mais alguns minutos. - Estou ansiosa...

- Está bem... vou lá... já volto...

David foi novamente até a sala de música, enquanto Clara continuava esperando. Cada vez mais nervosa, ela agora tinha ido para a porta da sala e roía as unhas.

Depois de mais alguns minutos de espera, David chamou Clara para entrar na sala. - Meu amor... o que aconteceu?

- Nada querida... você conhece o Dr Jackson, não?

- Olá doutor, desculpe... mas fiquei muito preocupada com meu marido...

- Fique tranquila, senhora Noble... ele está muito bem...

- Que bom... - ela disse sorrindo aliviada. - E poderá viajar amanhã para Nova York?

- Sim, não há nada que o impeça... só deve tomar mais cuidado, acabou de fazer cirurgia,  por favor, tenta evitar fazer sexo durante as próximas duas semanas... nestes primeiros dias, a tendência é essa, sentir muita dor... mas com o passar do tempo, o senhor se sentirá mais apto, mesmo assim, deve evitar porque os micro canais que foram restaurados podem romper-se, comprometendo sua capacidade para gerar filhos...

- Ah Jack...

- Desculpa amor... mas os caras quiseram...

- Preciso muito que você se cuide... - ela disse beijando-o no rosto.

- Calma amor... vou ficar bem... eu juro... não precisa chorar, Menininha... então, o Jagger vai mesmo tirar você de mim?

- Claro que não... - Clara disse com os olhos cheios d'água, aproximando-se dele e abraçando-o. - Ah meu amor, me perdoa...

- Me perdoa você... a Ann Kurtiss me ligou e quando eu vi as fotos, fiquei desesperado, mas enquanto eu tentava me acalmar, os rapazes trouxeram aquela stripper aqui e... bem...

- Eu sei, meu amor... me perdoa... - Clara ficava cada vez mais nervosa, a culpa por tê-lo traído há poucas horas, a dor do arrependimento, a preocupação por vê-lo tão frágil.

- Não se preocupa, querida... está tudo bem...

- Eu não consigo viver sem você...- ela disse pegando a mão dele.

- Então Menininha... fica comigo e me perdoa... não posso ir lá embaixo gravar hoje, mas estarei bem para viajarmos amanhã cedo... ok? Me perdoa, eu não tive culpa, os caras...

Ela apenas balançou a cabeça e rapidamente escondeu suas lágrimas no peito dele, que por sua vez, abraçou-a e também chorou. Ele não precisava ouvir dela sobre o que tinha acontecido naquela manhã, sabia de tudo dentro de seu coração.

- Vocês se importam de nos deixar sozinhos?

- Claro que não, Princesa... - David sorriu para ela. - Dr Jackson, nos acompanha em um chá, ou prefere uma bebida?

- Agradeço sua hospitalidade, senhor Mersey... então amanhã os senhores começam a turnê? - o médico começou a conversar, enquanto caminhava com Michael Silver e David Mersey para fora da sala de música.

- Já nos juntaremos a vocês... - Jack disse, limpando as lágrimas que escorriam por seu rosto. - Então, Menininha... o que foi?

- Me desculpa, amor... fiquei muito preocupada com você...

- Olha, amor... se aconteceu mais alguma coisa hoje naquele restaurante... não precisa me contar... eu vi as fotos...

- Ele esteve em nossa casa antes...

- Quando?

- De manhã... você tinha acabado de sair... eu liguei para ele porque fiquei preocupada depois que vocês conversaram e precisava saber o que tinha acontecido...

- Ele te disse que eu estava tranquilo, que não me preocupava mais se vocês estivessem juntos... que você agora era livre para fazer o que quisesse?

- Ele me disse... mas isso é estranho, você não tem mesmo ciúmes?

- Não... eu não posso mais fingir que não está acontecendo nada entre vocês, eu sei que você está apaixonada pelo Mick... sinto aqui dentro...

- Não estou... quer dizer... eu estou muito confusa agora, meu amor... você está decepcionado comigo?

- Não, meu amor... eu estou grato que mesmo amando o Mick, como você está amando agora, você esteja aqui ao meu lado...

- Mas estou aqui porque amo você muito...

- Vocês transaram?

- Não sei nem o que te responder... me entreguei porque não consegui resistir...

- Ah, meu amor... - ele disse lutando consigo mesmo para não deixar o desespero transparecer em sua voz. - mas não se preocupe...  há algum tempo eu já sabia que isso ia acontecer... ontem, quando nós brigamos, o David chamou minha atenção para uma coisa que eu demorei a perceber... eu estava tão preocupado se você tinha me traído e ele me perguntou... e se acontecer? O que tem? Sabe... - Jack disse, as lágrimas começando a acumularem-se em seus olhos. - aí eu percebi que estava te negando uma liberdade que para mim sempre foi muito importante... me perdoa todas as minhas crises de ciúmes, minha falta de jeito... há muito tempo não amava tanto e acho que nunca amei ninguém na minha vida como amo você...

- Ah Jack... - Clara disse agarrando-se a ele. - meu amor...

- Estou  feliz que você está aqui, me contando o que aconteceu entre vocês... essa sinceridade me faz também querer ser sincero com você... só quero saber uma coisa...

- O que, meu amor?

- Ele te ama também? Vocês estão envolvidos ou foi só sexo?

- Não foi só sexo... temos um carinho enorme um pelo outro... ele é meu amigo...

- Você quer ir viver com ele?

- Não! Eu amo você... o que aconteceu hoje, não vai se repetir... nunca mais... ok?

- Por que não? Vocês não se amam?

- Nos amamos, mas eu não posso fazer uma coisa que vai te ferir...

- Não está me ferindo... só estaria se me dissesse que está me abandonando para ficar com ele...

- Não estou... sou sua...

- Não é... mas não precisa ser... eu não preciso de fidelidade... quero você ao meu lado, porque não consigo viver sem você... mesmo que você não me ame mais...

- Não fala isso... - Clara disse beijando-o.

O beijo colocou-o em ação, agora Jack tirava as roupas de Clara e a empurrava para a cama. - Jack, não... você vai se machucar...

- Não se preocupe comigo... eu quero ter você...

- Mas não podemos...

- Mas eu preciso... não quero te perder...

- Você não vai me perder... eu te amo muito... não transei com o Mick porque não posso transar com você...

- Não?

- Não, meu amor... eu transei porque senti um desejo incontrolável de estar com ele... você me perdoa?

- Perdoar? Por que? Você não fez nada de errado... Continuo sendo seu... nada mudou, portanto, se você transou com ele para se livrar de mim...

- Não...  nunca...

- Por que, enquanto estou aqui, desse jeito, você não vai ficar com ele?

- Porque não quero... quero estar com você, Jack... quando cheguei aqui e o Dave disse sobre o que tinha acontecido com você,  me senti muito culpada por ter ido para a cama com o Mick... foi muito errado...

- Por favor, não se sinta assim... está tudo bem comigo... aliás, se mudou alguma coisa hoje, foi que o amor que eu sinto por você  cresceu ainda mais, minha vontade de te fazer feliz está maior a cada minuto... Obrigado por ser sincera comigo... - ele disse beijando-a no rosto.

Clara agora se desmanchava em lágrimas. Agarrada a ele, ela chorava de soluçar, enquanto ele tentava acalmá-la.

- Meu amor... não chora... somos livres querida... não estou magoado, nem ferido de nenhuma maneira... me acredite...

- Eu acredito querido... mesmo assim, eu sei que o que fiz hoje...

- O que você fez hoje é normal, humano... somos humanos... nos amamos e nada pode mudar isso...

- Você é maravilhoso demais comigo, eu não te mereço... depois de tudo o que eu já te fiz passar por causa da Ann Kurtiss...

- Nem pense mais nela, meu amor... sou seu...

- Eu te amo... - Clara disse beijando-o. - Vou te compensar pela bobagem que fiz hoje... eu prometo...

- Menininha... minha Menininha... agora, deixa eu secar esses olhinhos lindos para irmos lá  conversar com o Dr Jackson... ainda preciso pagá-lo pela visita...

- Está bem, meu amor... - Clara disse pegando um espelhinho na bolsa para ver como estavam seus olhos.

- Eu não gosto de ver esses olhinhos inchados de chorar... eu te amo tanto e já que você foi tão sincera comigo, eu vou ser completamente sincero com você... não gosto da ideia de você ficar perto dele, de vocês dois juntos...

- Acabou, amor... de verdade... o que aconteceu hoje foi uma loucura....

- Mas não se preocupe comigo... já te disse que você é livre...

- Não sou e não quero ser... sou sua, completamente sua apenas continuarei trabalhando com ele, mas isso é tudo...

- Não é... ele nos convidou para irmos ao castelo dele novamente e nós aceitamos, no dia 12 de novembro, embarcamos todos em um avião mandado por ele para Nice... e vamos passar uma semana inteira lá...

- Eu não vou...

- Por que não? Ele disse ao Peters que vai trabalhar com você e com o David no seu disco... que ele e o Keith têm diversas músicas para apresentar a vocês, além das últimas gravações para o disco dos Stones....

- Mas... eu não quero ficar perto dele, eu tenho medo...

- Meu amor, é a sua carreira...  você sabe o quanto eles são importantes...

- Eu não quero ver o Mick por um bom tempo agora...

- Ele é seu amigo... você não pode simplesmente fugir dele...

- Não vou fugir... mas vou me distanciar... não posso ficar muito perto dele... quero esquecê-lo...

- Eu vou te ajudar, nós três iremos conversar e decidir como será seu trabalho ao lado dele. Com calma... você vai perceber que não precisa se desesperar... porque eu estou tranquilo e ele também... eu e ele amamos a mesma mulher e ela nos ama...

- Mas Jack...

- Não se preocupe com nada... estou ao seu lado, se for preciso, coloco o Jagger para correr, mas não acho que isso vá ajudar em nada, por isso, eu me coloco a sua disposição para qualquer decisão que você possa tomar... e isso inclui até me abandonar para ficar com ele...

- Não... isso não vai acontecer... não vivo sem você, Jack...

- Que bom... - Jack sorriu e beijou-a. - Então, vamos para a sala de estar? As pessoas já devem estar preocupadas conosco...

- Vamos... - ela sorriu. - Obrigada por me perdoar, eu sei que não conseguirei me perdoar tão cedo... coloquei em risco a coisa mais preciosa da minha vida que é o nosso amor... não tinha direito de fazer isso...

- Ah amor... fica em paz com isso... eu estou...

Clara sentiu-se muito grata pelo apoio dele e ainda mais apaixonada pelo seu marido. Ele a acolheu com amor, mesmo depois de saber de sua traição. Ela agora não tinha qualquer dúvida, teria que sufocar qualquer sentimento que tinha por Mick.

Continua

Nenhum comentário: