9 de nov de 2012

Rockstar - Capítulo XCIX


- Você está maluco? Como você vem até aqui e faz isso?

- Ah, meu amor... eu sei que você também me quer...

- Não posso querer... isso é uma loucura... por favor, me deixa em paz...

- Por que? Você está mesmo em paz?

- Mick... estou cansada... confusa... por favor...

- Eu quero você... - ele disse segurando as mãos de Clara e beijando-as. - Estou aqui, te implorando para me dar uma chance...

- Está bem... - ela respondeu já desesperada com a insistência dele. - Mas nada  vai acontecer entre nós, entendeu?

- Você acha isso justo?

- Eu sei que não é justo, Mick... - ela começou a dizer, mas foi interrompida por outro beijo. Desesperado, ele empurrou Clara com seu corpo contra o portão e ela, já sem forças para lutar contra ele, entregou-se. - Isso não pode acontecer...

- Você quer dizer que não me quer...

- É claro que eu quero... mas...

- Mas o que?

- Por favor, vamos entrar em casa, estou congelando...

- Está bem... Meu Deus, você está tremendo, querida... vamos lá dentro...

Mick abraçou Clara e os dois entraram na casa. Para evitar que os empregados os vissem juntos, Clara levou-o direto para a sua suite, no andar de cima da casa.

- Você é louco... - ela disse pegando-o pelas mãos.

- Louco por você, meu amor... - Mick disse abrindo o roupão de Clara e beijando todo o seu corpo.

Clara queria empurrá-lo, mas já estava cansada de lutar contra seu próprio desejo, que agora se tornava insuportável.

- Eu te amo, Mick, mas não é certo. Se o Jack souber disso...

- Ele não vai saber... - Mick disse envolvendo-a completamente em seus braços.  - Eu preciso ter você...

- Isso não pode acontecer... - ela disse desvencilhando-se dos braços dele e fechando novamente seu roupão. - Isso foi uma loucura... não podia acontecer...

- Mas eu preciso de você... seu marido me disse que não se importa...

- Não confio nisso... se eu me entregar a você, meu casamento chegará ao fim... o Jack nunca me perdoaria...

- E eu? E você? Ele mesmo disse...

- Ele disse porque sentiu que estou enfraquecendo... Não posso ceder ao meu desejo...

- Mas ele...

- Ele está com medo de me perder... só isso... Por favor... - ela disse acariciando o rosto de Mick. - Eu te amo, mas sou casada com o Jack...

Mais uma vez, ele respondeu o carinho de Clara com outro beijo, ardente. As mãos dele voltaram a abrir o roupão dela e a acariciar seu corpo. Cansada de lutar contra seus desejos, ela se entregou aos carinhos cada vez mais ousados dele e sentia seu corpo inteiro vibrando ao toque de suas mãos.

Eles agora se beijavam desesperados pela urgência de seu próprio desejo e nua nos braços dele,  ela ajudava Mick a despir-se.

- Meu amor... parece um sonho... - ele sussurrou no ouvido dela. - eu te amo...

Clara tinha decidido não parar para pensar mais no que estava fazendo e apenas gemia de prazer a cada movimento de seus corpos, enquanto a luz da manhã batia cada vez mais quente nas janelas do quarto.

- Isso não podia ter acontecido... - Clara disse sentando-se na cama. - Mick... me desculpa, mas...

- Calma, meu amor... eu te amo muito...

- Eu também te amo, querido... - ela sorriu, acariciando os cabelos de Mick. - Mas você sabe...

- Casa comigo, meu amor... tem que existir algum lugar no mundo em que você possa ser minha e do Jack ao mesmo tempo... não me importo com mais nada...

- Ah, querido... isso não existe... se fosse ao contrário, um de vocês casando-se com duas mulheres, talvez fosse fácil, mas uma mulher com dois homens... as pessoas jogariam pedras em nós, nas ruas...

- Mas somos milionários, meu amor... podemos viver como quisermos...

- Não podemos... o Jack não pode nem sonhar que isso aqui aconteceu...

- Mas tudo o que ele disse no telefone...

- Não acredito nisso... ele disse por dizer... tenho certeza que será o fim do nosso casamento, se ele descobrir...

- Somos de outra geração, querida... o Jack viveu isso mais ainda do que eu...

- Meu Deus! Mas ele sempre briga tanto comigo por ciúmes...

- Sim... mas ele me falou isso... ele me disse que pensou melhor e entendeu que deveria cuidar da sua felicidade e por isso queria te deixar livre para fazer o que você quisesse. Apenas me pediu  muito para que não te levasse para longe dele...

- Não sei nem o que dizer... ele é tão maravilhoso comigo... - Clara começou a sentir  lágrimas molhando seu rosto. - Estou me sentindo uma monstra por traí-lo assim...

- Não, meu amor... não estamos aqui para trair o Jack, estamos aqui porque não suportamos mais continuar como amigos simplesmente, sufocando tudo o que sentimos...

- Mas por que? Eu não entendo...

- Eu e ele te amamos e nós dois vamos te fazer feliz... é só isso que você precisa aceitar... agora, eu estou feliz... amo você... estamos aqui... juntos... e o que você decidir, está decidido... o tempo que você puder me dar... sou seu, estou nas suas mãos...

- E eu estou ainda mais confusa e louca do que estava antes... mas estou me recusando a pensar nisso agora porque não tenho condições...

- Eu sei, meu amor... - ele a abraçou sorrindo. - Você me tem e sei que nós estaremos bem... nós três... eu, você e o Jack...

- Espero que sim, querido... - ela sorriu e beijou-o. - Agora, se você não se importa... tenho que sair para almoçar com minhas amigas...

- Ah... desculpa... - ele levantou-se e começou a vestir-se. - Não quero te atrapalhar, você agora vai se levantar e ficar linda... ah, o que eu estou dizendo? Você nunca esteve mais linda do que aqui, nua, nos meus braços...

- Mick... - Clara sorriu. - Você é tão maravilhoso... mas, sinceramente, eu preferia que você reatasse com a Gianna...

- Mas acho que isso não vai acontecer... ela não me quer mais... gosto muito dela, mas ela é muito ciumenta e nunca entendeu a minha vontade de estar perto de você... Mas se você quiser, não terei dificuldade de arranjar alguém...

- Não quero...  só acho que você merece muito mais do que só metade do meu coração... eu queria te ver feliz, ter alguém que viva só para você... meu coração já tem o Jack...

- Eu não me importo, desde que você fique perto de mim, estarei feliz... mesmo que você só possa me dar migalhas...

- Você merece mais do que migalhas, querido... mas vamos resolver isso...

- Eu quero estar com você... - ele disse, terminando de vestir-se. - Mas aceito qualquer condição que você me impuser...

- A única condição é que o Jack nunca descubra nada... por mais que ele tenha dito que não liga, sei que seria o fim do nosso casamento...

- Não quero que isso aconteça... sei o quanto o Jack é importante para você... quero ver nós três felizes, está bem?

- Acho que está... vem, vou te acompanhar  até o portão... - ela disse vestindo novamente seu roupão de seda. - Só espero que os empregados da casa não estejam no caminho...

Clara e Mick desceram a escadaria e despediram-se no portão da rua. Por sorte, nenhum dos empregados viu Mick na casa e assim que ele se foi, ela voltou para o quarto, tomou um banho rápido e ligou para Jenni assim que saiu do chuveiro.

- Jenni... você já combinou tudo com a Cindy?

- Já querida... tentei te ligar, mas o celular estava desligado...

- Eu desliguei... bom... terei que te contar de qualquer jeito, mas para resumir, o Mick veio aqui na minha casa e nós transamos...

- O que? Meu Deus! Você está falando sério? Quer dizer... não está dizendo isso só para me assustar, está?

- Não querida... ele me telefonou, estávamos conversando e, de repente, ele me disse que estava no portão da minha casa, eu abri para ele e ele me beijou...

- E vocês transaram no portão de casa?

- Não, querida... está muito frio, entramos em casa e tive que levá-lo para o meu quarto porque não queria que ele fosse visto pelos empregados...

- Nossa! No seu quarto? Na sua cama?

- É...

- E como foi?

- Lindo... Achei que a culpa ia me matar, mas é muito estranho, estou me sentindo tão feliz...

- Mesmo? Que ótimo! Eu fico feliz por vocês... já estava na hora disso acontecer...

- Acho que estava mesmo... - Clara sorriu. - Acho que estou apaixonada pelos dois... pelo Jack e pelo Mick...

- E como será de agora em diante?

- Não sei... acho que oficialmente  tenho um amante e um marido... o Mick quer se casar comigo... disse que vai procurar algum país no mundo que aceite isso...

- Isso é uma loucura, querida... mas você precisa se cuidar, os dois são malucos e capazes de qualquer coisa... você não vai deixar o Jack saber disso, vai?

- Não... nunca... tenho muito medo do que pode acontecer se ele descobrir... ele disse umas coisas hoje que me deixaram intrigada... vocês precisam me ajudar... vou contar para vocês duas no restaurante...

- Está bem, querida... vou passar aí para te pegar... a Cindy tentou te ligar também, mas não conseguiu, ela queria avisar que tem uma reunião com o cliente de Viena e deve se atrasar um pouco, então ela me pediu para passar na sua casa para te pegar...

- Ok, então está combinado... vou me arrumar e acho que vou ligar para  o Jack... será que ele também tentou me ligar?

- Acho que não, querida... essa reuniões com o Peters sempre são meio complicadas... acho que não tem clima por lá para interromper telefonando... você conhece o Peters, não?

- Eu sei... ainda tenho pesadelos sobre aquela reunião em Nova York, em que assinei o contrato para ser ghost writer do Jack... também acho que ele não ligou... bem, querida... vou me arrumar agora, nos vemos daqui a pouco... beijos...

- Beijos querida...

Clara foi até o closet e separou roupas bonitas e quentes para sair. Sentia-se feliz e relaxada e continuava negando-se a pensar sobre as implicações de tudo o que tinha acabado de viver.

E enquanto se arrumava percebeu seu celular tocando.

- Olá querida... - disse Cindy do outro lado da linha... - Então... vocês transaram...

- A Jenni te contou?

- Sim... acabamos de conversar... você está bem?

- É estranho, mas estou me sentindo muito feliz... e eu que achei que me sentiria culpada... pelo contrário, estou aliviada, sentindo um carinho imenso pelo Mick, sem deixar de amar muito o Jack...

- E como vai funcionar isso? Vocês já conversaram?

- Não... nada está certo ainda... e eu não tenho a intenção de decidir nada agora...

- Também acho que é muito cedo, mas sinceramente, esperava que essa transa de vocês resolvesse tudo...

- Como assim?

- Ainda tinha alguma esperança de que você se decepcionasse depois de ir com ele para a cama...

- Não querida... foi lindo... eu me senti muito bem ao lado dele... sabe que não consigo parar de sorrir...

- Então você está ainda mais encrencada, querida... - Cindy sorriu. -  Sua bagagem já está pronta, não?

- Está... devo levá-la para o restaurante comigo?

- Não, querida... passamos na sua casa na volta... acho que a Jenni vai deixar o carro dela aí...

- Então está bem... vou pedir para o Bradley levar as malas para baixo daqui a pouco... vai ficar tudo pronto para irmos para Heathcliff Hall...

- Isso... vocês vão passar a noite conosco... Vão dormir na sala de música e os rapazes poderão trabalhar nas novas músicas...

- Ah não... na sala de música não...

- Por que? Aliás, eu até fiquei surpresa do David sugerir isso... ele se preocupa mais com aqueles discos do que comigo...

- Eu sei... desculpa, Cindy... é que eu tive um sonho, quando fui com o Jack buscar meu vestido para a festa, em Paris... sabe...

- Sei... e o que você sonhou?

- Eu sonhei que eu e o Jack estávamos dormindo exatamente na sala de música em Heathcliff Hall  e era a manhã do dia do embarque para Nova York...

- Nossa! Sério? E o que aconteceu?

- Era de manhã, fomos tomar o café, eu tinha deixado a bagagem pronta e o médico do Jack foi visitá-lo, para ver se tudo estava bem, antes da viagem... E o médico estava examinando os pontos do Jack...

- Sei... normal... acredito que o médico deva vê-lo mesmo hoje...

- Acho que sim... mas no meu sonho, o médico disse que estava tudo bem, que ele não poderia transar, mas que eu estava livre para transar com o Mick...

- Meu Deus! Que medo destes teus sonhos, amiga! E vocês transaram hoje...

- Pois é... 

- Bem querida... daqui a pouco poderemos conversar melhor... meu cliente acabou de chegar... vou tentar despachá-lo rápido, mas não  acho que conseguirei chegar no horário, no restaurante... até daqui a pouco, querida... beijos...

- Beijos...

Clara desligou o telefone, colocou suas jóias, ajeitou o cabelo, arrumou sua bolsa e desceu para a sala de estar, conferindo mentalmente o conteúdo das malas que tinha arrumado, antes da chegada de Mick.

- Senhora Noble... - Bradley chamou-a assim que chegou na sala de estar. - Os remédios do senhor Noble, a senhora não vai levá-los para Nova York?

- Sim... obrigada Bradley... já tinha me esquecido deles... - ela disse pegando os frascos e voltando para a suite.

- Obrigada Bradley, se não fosse você eu acabaria deixando os remédios aqui... não sei o que está acontecendo comigo hoje... Vou sair para almoçar com minhas amigas, daqui a pouco, você desce as nossas malas aqui para a sala de estar, porque quando voltarmos, iremos para Heathcliff Hall, onde passaremos a noite de hoje... ok?

- Sim, senhora Noble....

A conversa dela com o mordomo logo foi interrompida por seu celular tocando novamente.

- Oi amor... - Jack disse assim que ela atendeu o telefone. - A reunião já terminou...

- Mesmo, querido? E você está fazendo o que, agora?

- Estamos a caminho de Heathrow, o Peters quer que inspecionemos o avião para ver se está tudo de acordo... E você? Já vai sair para almoçar?

- Não, amor... a Cindy tinha uma reunião importante com um cliente e parece que as coisas estão um pouco atrasadas...

- Queria ir almoçar com vocês, Menininha... Estou te ligando para te avisar que depois do aeroporto, vamos direto para Heathcliff Hall... Vocês precisam trazer nossa bagagem para cá, depois do almoço e vou mandar os roadies para pegar os instrumentos que vou levar para Nova York... avisa o Bradley...

- Vou avisar, amor... ah, sabe do que eu tinha me esquecido? De pegar seus remédios... agora já os coloquei na sua necessaire... imagina, que louca...

- Ah, amor... não se preocupa... está tudo bem...

- Que bom, meu amor...

- Ai querida, eu estou muito bem... mas ficar sem ter você para mim ainda é uma tortura...

- Para mim também, meu amor...  querido... o celular está avisando que tem outra ligação, acho que é a Jenni, ela vem me buscar... vou ver o que ela quer, me espera...

- Não, amor... vou desligar... te ligo quando chegar em Heathcliff Hall... tchau amor...  beijos...

- Beijos querido...

- Alô...

- Oi Clara, é a Jenni... já estou chegando no seu portão, abre para mim...

- Claro... desculpa, estava falando com o Jack no telefone...

- Já estou entrando... - Jennifer sorriu. - Depois do almoço passamos aqui para pegar as malas e eu deixarei meu carro aqui... A Cindy te falou?

- Sim, ela me disse... e ela?

- Ainda não terminou a reunião, mas precisamos ir ao restaurante por causa do horário da reserva...

- Pronto... vamos embora? Bradley, por favor, traga as quatro malas que estão na minha suite porque depois do almoço vamos levá-las conosco...

- Sim, senhora Noble... Mais alguma coisa?

- Ah... os roadies da banda irão passar aqui para pegar instrumentos, leve-os até a sala de música e eles pegarão o que precisam... ok?

- Sim, senhora Noble... qual o nome deles?

- Não sei... vou ligar para o Jack, você tem razão, esqueci de perguntar... - Clara sorriu, pegando seu celular. - Amor... qual o nome dos roadies que vêm aqui? O Bradley quer saber...

- Tem razão, amor... um é o Charlie Buttons e o outro é o Mark Sonnen...

- Ok, amor... já estou de saída... beijos...

- Beijos, meu amor...

- Bradley, anota aí no seu caderninho Charlie Buttons e Mark Sonnen... são eles que virão aqui buscar os instrumentos...

- Anotados, senhora Noble...

- Agora tenho que ir... vamos, Jenni?

- Vamos, querida... Está um frio horrível lá fora... veste o casaco...

- É mesmo... hoje estou um desastre...

- Não está não, querida... vamos almoçar e você já melhora... - Jennifer sorriu seguindo Clara até o carro que tinha ficado estacionado no páteo, na frente da casa.

- Então... me conta tudo...

- O que? - Clara perguntou fingindo não entender a pergunta da amiga.

- Você e o Mick...

- Ah... - Clara suspirou. - Foi lindo... estou sentindo falta dele agora...

- Além do que ele é muito bom de cama, não...

- Foi bem mais do que isso, querida... eu não sei como, nem porque, mas neste momento estou amando muito a dois homens ao mesmo tempo... Ele foi maravilhoso comigo...

- Eu te disse que ele é um amante espetacular, querida...

- Sim... ele é muito melhor do que eu imaginava... mas fiquei chateada com uma coisa que ele me disse...

- O que?

- A Gianna brigou com ele por minha causa...  eu sempre o  tratei como um amigo e quando ele ficou em dúvida, eu o incentivei a casar-se com ela, até ajudei-o a comprar o anel... agora ele me disse que ela está muito brava comigo, que vai agarrar o Jack para vingar-se...

- Ah querida... sinceramente, no lugar dela faria a mesma coisa... o Mick nunca fez nenhuma questão de esconder que te ama, ela deve achar que vocês têm um caso... Bom... agora é verdade, não?

- Mas nós não tinhamos... tudo o que ela sabe é que eu estou casada e sou muito feliz com meu marido...

- Eu sei disso... quem te conhece melhor sabe disso, mas até o Mike já me perguntou se vocês tinham um caso...

- E o que você respondeu?

- Que vocês não estão... que o Mick já tentou ficar com você, mas que você não tem olhos para ninguém além do Jack...

- Desculpa, Jenni, mas eu fico muito nervosa com esse assunto...

- Eu sei, querida... não precisa ficar sofrendo sozinha... você pode desabafar comigo e com a Cindy aquilo que quiser... estaremos sempre por perto para te ajudar...

- Obrigada querida... acho que sem a amizade de vocês, minha vida seria bem difícil... Não entendo o que o Mick viu em mim, sou uma mulher comum, sem graça nenhuma...

- Como assim? Você tem dois dos homens mais desejados do mundo apaixonados por você e se acha sem graça? Não, Clara... esses caras passaram a vida namorando  modelos, atrizes, mulheres lindíssimas... Você não tem nada de sem graça, amiga... aliás queria ter pelo menos um pouquinho desse  mel que você tem...  é que você é uma mulher séria, porque se fosse uma biscate, tipo Ann Kurtiss, já teria passado pela cama da banda toda... tenho certeza que o David e o Mike não te deixariam escapar...

- Você acha mesmo isso?

- Claro que acho... amiga, você é linda... eu era modelo e acho que entendo um pouco disso... é sério que você não se acha bonita?

- Não... até me achava melhor quando era adolescente, mas depois, quando estava na faculdade, passei a me achar estranha, sem graça, magra demais... daí vieram os problemas de saúde e eu passei a me sentir feia mesmo... agora sei que melhorei bastante com todos os cuidados que posso bancar, mas não me acho nada de especial...

- Você é linda, amiga... não pensa mais assim... então, acho que chegamos... vou deixar o carro com o manobrista, está muito frio para ficarmos procurando vaga por aí...

- Ainda bem que hoje não tem paparazzi na porta... não estou disposta a enfrentá-los...

- Tem paparazzi sim, querida... olha ali atrás da árvore, do outro lado da rua... tem uns três fotógrafos...

- Ah que droga...

- Vamos lá, amiga... tem sempre gente famosa nesse restaurante... é o melhor da cidade, isso é natural... Vamos lá, respira fundo e vai...

As duas desceram do carro na porta do restaurante e deixaram o carro com o manobrista. Mal pisaram na calçada e diversos fotógrafos e alguns cinegrafistas, que deviam estar escondidos por lá as cercaram.

- Clara Noble, por favor, só uma entrevista rápida... sobre a turnê da Crossroads...

- Desculpa, não posso falar nada... não sou da Crossroads...

- Eles estão vindo para cá?

- Não... a banda hoje está se preparando para viajar para Nova York amanhã e não vem para cá... vamos almoçar sozinhas...

- É  verdade que o show de abertura das Olimpíadas, no ano que vem, será com Crossroads e Rolling Stones?

- Ainda não sabemos de nada sobre isso... mas acredito que se convidarem, vocês ficarão sabendo... - Clara sorriu e afastou-se do repórter.

- Ah, por favor, Clara, só umas fotos... quem você está vestindo hoje?

- Jean Paul... Vamos, pessoal... está muito frio... vocês querem que eu congele? - Clara disse caminhando para a porta do restaurante, sob alguns protestos de repórteres e fotógrafos.

E após a intervenção dos seguranças do restaurante, elas conseguiram chegar na frente do maitre. - Boa tarde, senhoras, sua mesa favorita as aguarda...

- Estamos esperando mais uma pessoa...

- Pois não,  por favor me acompanhem...

- Obrigada... vamos beber champagne, enquanto esperamos... - Clara pediu ao garçom. Estava cansada e comaçando a ficar tensa.

- Será que a Cindy vai demorar muito? - Jennifer perguntou dando uma olhada ao redor do salão do restaurante, ainda agitada depois da dificuldade para ultrapassar a barreira de jornalistas.

- Espero que não... ela me disse que ia despachar rapidamente o tal cliente de Viena... Pobrezinha... ela estava super nervosa de manhã, quando me ligou...

- Ela tem estado assim ultimamente... me pediu para não contar, mas acho que você deve saber, ela e o David andam tendo problemas no casamento...

- Sério, Jen? Que tipo de problemas?

- A Cindy acha que o David a está traindo novamente...

- Mas ele está sempre em casa... dentro daquele estúdio...

- É, mas ela encontrou umas mensagens para ele no celular e o ouviu conversando com uma mulher que ja teve caso com ele antes, lembra  aquela história do vidro da Lamborghini? Então... foi por causa dela...

- Ah, pobrezinha da Cindy... ela gosta tanto dele... não é a toa que anda trabalhando tanto...

- É... ela fica irritada com ele e foge para Viena... Falando em fugir... o Mick acabou de entrar no restaurante...

- O que? Sério? - Clara respondeu com os olhos arregalados. - Meu Deus, o que ele veio fazer aqui?

- Ah, Clara... você não está surpresa de verdade, está?

- Claro que estou... ele me disse que vai para Nova York hoje, com o Keith...

- Acho que ele decidiu te ver de novo antes de ir... - riu Jennifer. - É de se esperar que ele viria aqui, sabendo que você também viria... Ele te ama, lembra? Aliás, está vindo direto para cá, nem disfarçou... acho que vamos almoçar juntos...

- Você combinou alguma coisa com ele?

- Não querida... ele deve ter decidido isso sozinho... depois do que aconteceu hoje de manhã...

- Boa tarde, minhas queridas... que bom encontrá-las aqui...

- Olá Mick... Como vai? - Clara disse beijando-o no rosto.

- Estou bem, minha querida e vocês? Esperando pelos seus maridos para almoçar?

- Não, querido... estamos esperando a Cindy Mersey, que está em uma reunião e você, veio encontrar alguém aqui?

- Não... estou sozinho agora que a senhora Jagger resolveu me abandonar...

- Então nos acompanhe, querido... - Clara sorriu pegando a mão de Mick, que respondeu ao carinho olhando-a profundamente nos olhos e beijando sua mão.

- Obrigado pelo convite, minha querida... gosto muito da companhia de vocês... Garçom, traga champagne... vou acompanhá-las enquanto aguardamos juntos pela querida senhora Mersey... Clara, querida, como está seu marido?

- Recuperando-se... ainda muito dolorido... vamos viajar amanhã cedo e ele ainda não está muito bem...

- Mas vai ficar... estas cirurgias são assim, meu amor... agora basta tomar as medicações e seguir as ordens médicas para tudo ficar bem... eu te prometo que logo vocês nem lembrarão mais que tiveram qualquer problema...

- Espero que sim... não suporto ver o Jack sofrendo...

- Você também vai para Nova York, Mick?

- Vou, hoje à noite, com meu avião e darei carona nele para o Keith... nós dois temos uns compromissos por lá antes de podermos terminar as gravações do novo disco... Ah queridas, gostaria de estar indo para fazer shows e não essas reuniões intermináveis de negócios...

- Nossa viagem não será menos chata... pelo que sabemos o Peters não deixou muito espaço na agenda... serão entrevistas coletivas, exclusivas, apresentações na TV... enfim... muito trabalho e nenhuma diversão... - sorriu Clara.

- Isso eu posso melhorar, minhas queridas... que tal um jantar, no meu apartamento de Nova York? No horário em que vocês estiverem livres?

- Seria ótimo, Mick... - sorriu Jennifer. - Acho que estaremos em situações bem parecidas por lá, não?

- Estaremos sim... - sorriu Mick. - E se eu posso fazer alguma coisa para melhorar para todos nós, então por que não fazer? Vou me sentir muito feliz em receber todos em minha casa...

- Alguém mais sentindo a cabeça leve? - sorriu Clara servindo-se de mais uma taça de champagne.

- É preciso bem mais do que isso para me afetar, querida...

- Olha, a Cindy chegou... - sorriu Jennifer. - Já vamos pedir nosso almoço e você vai ficar bem, Clara...

- Boa tarde... então... você por aqui, querido?

- Cara senhora Mersey, bem vinda... - Mick sorriu, levantou-se de sua cadeira e beijou a mão de Cindy. - Estávamos já ansiosos por sua chegada...

- Desculpem, mas a reunião se prolongou muito mais do que eu esperava... pelo menos a questão Viena está resolvida para eu poder ter algum tempo livre para viajar...

- Eu sou um grande admirador de seu trabalho, querida... aliás estive em uma das construções que você restaurou nesta semana e você fez um trabalho primoroso...

- Esteve? - sorriu Cindy.

- Sim, aquele hotel próximo a Victoria Station é de um velho amigo meu... gosto muito do jeito que você consegue trazer estas velhas construções de volta à vida...

- Obrigada Mick... gosto de fazer o que faço e esse projeto do hotel foi um dos que mais me orgulhei nos últimos tempos... não sabia que o senhor Rogers era seu amigo, conexões na realeza, não?

- Um velho amigo, querida... herdeiro de uma boa parte daquela região e muito bem relacionado com a realeza, aliás, ele é neto de um duque...

- Mesmo? Nem parece, geralmente estes aristocratas são insuportáveis, inacessíveis, mas o senhor Rogers é bem diferente, inteligente e interessado... sabe que ele nunca questionou as despesas da obra... adoro trabalhar com gente assim... deu para deixar o hotel exatamente como eu queria... tão boa essa sensação...

- Acho que nós passamos lá uma vez, Cindy, mas não pude ver muito...

- Ah querida, o hotel já está pronto, já estive lá e se vocês quiserem posso levá-las para conhecer... o seu trabalho foi tão perfeito, senhora Mersey, que é possível sentir-se em outra época, apenas cruzando a porta... Eu ligo para ele e vamos hoje mesmo...

- Hoje não podemos, querido... - Clara sorriu. - Os rapazes estão nos esperando em Heathcliff Hall, o Jack e o David estão trabalhando em uma música nova e querem ver se conseguem terminá-la ainda hoje... Eles estão pensando em escrever outro dueto para eu e o Jack... querem aumentar minha participação no show...

- Sempre acreditei no seu talento, querida... - Mick sorriu. - Tenho certeza de que será o melhor momento do espetáculo... o Jack tem muita sorte... - Mick olhou fundo nos olhos dela e deu um longo suspiro. - E pensar que podia ser eu... não me conformo...

- Ah Mick querido... - Clara suspirou. - Será que algum dia seremos somente amigos?

- Nós já somos... não suportaria me afastar de você... eu te amo muito... tanto que já fiz várias músicas para seu disco... vou tocá-las quando vocês forem ao meu apartamento em Nova York... assim o seu produtor já pode dizer se as músicas se encaixam no repertório, ou não...

- Meu amor... não importa o que o David acha... você e o Keith escreveram para mim... vou gravar as músicas... eu amo vocês... será uma honra gravar, querido...

- Ah Clara... quer casar comigo? - Mick riu e beijou-a no rosto. - Vou procurar meu advogado e perguntar se existe algum lugar no mundo em que uma mulher pode ter dois maridos, voamos para lá e nos casamos... o Jack vai ter que entender...

- Meu querido... - Clara sorriu e beijou Mick no rosto. - Eu te amo também... mas acho  que o Jack não entenderia...

- Eu sei, querida... fico aqui brincando, mas me dói tanto saber que não poderei viver com você... eu te amo e você ama o Jack... é tão difícil me conformar com isso...

- Quero muito te ver bem, Mick... já te disse que tenho um carinho imenso por você e para mim é muito difícil te ver triste...

- Não estou triste, meu amor, aliás, não me lembro de ter sido tão feliz em minha vida, como fui hoje de manhã; mas gostaria de poder dividir essa minha felicidade com o resto do mundo... queria poder te beijar  agora, aqui, na frente de todos... - ele respondeu sorrindo.

- Mick, por favor... - Clara sorriu abalada com o que estava ouvindo. - Eu gostaria que você desistisse dessa ideia de uma vez... minhas amigas sabem de tudo, mas não posso permitir que o que aconteceu entre a gente se torne público... não importa o que o Jack te disse hoje, isso o magoaria muito...

- Sou paciente, sei esperar... você ainda será minha esposa... - ele sorriu e olhou-a fundo nos olhos, um olhar carregado de desejo, que fez o rosto de Clara ficar enrubescido no mesmo instante.

- Me desculpem, vou ao toalete, já volto... - Clara disse no ouvido de Jennifer, estava um pouco alterada pelo champagne e sentiu vontade de fugir das coisas que Mick estava fazendo-a sentir. - Com licença...

- O que aconteceu, Jen? Eu disse alguma coisa errada? - Mick perguntou confuso pela atitude repentina de Clara.

- Nada querido... acho que ela está um pouco alta com o champagne e você acabou de desconcertá-la com o que disse...

- Vou até lá falar com ela... - Mick levantou-se repentinamente. - Clara...

- Não Mick, por favor... deixa que eu vou... - Cindy disse em vão, enquanto ele se afastava.

- Meu Deus, vamos ter um outro escândalo nas mãos, não vamos? - Jennifer perguntava para Cindy, ao perceber que todos os clientes do restaurante assistiam à cena.

- Não sei o que fazer, será que eu não devia ir atrás dele?

- Espera um pouco, acho que eles precisam conversar...

- Mas assim, em público?

- Tem razão... vou atrás deles... - Jennifer disse seguindo-os até o banheiro feminino, onde os encontrou numa ante-sala que abrigava espelhos e bancadas usadas pelas clientes do restaurante para retocarem a maquiagem.

- Vocês enlouqueceram? Querem ser expulsos do restaurante com toda aquela mídia lá fora assistindo? - ela disse ao abrir a porta.

- Desculpem... não me sinto bem... - Clara disse levantando-se da poltrona onde estava sentada. - Vou lavar o rosto...

- Querida... me desculpe, não queria deixá-la nervosa... - Mick disse abraçando-a. - me perdoa...

- Desculpa, Mick... eu estou muito confusa agora...

- Me perdoa, não quis te pressionar... acho que estou enlouquecendo, o que aconteceu hoje...

- O que aconteceu hoje não deve mais se repetir... a ideia de trair o Jack me machuca demais, me desculpa...

- Vamos secar essas lágrimas, Clara... vem, vamos voltar para a mesa... vamos para a sua casa, pegar a bagagem para irmos embora... Mick, por favor...

- Ok, vou voltar para a mesa... Clara, meu amor... me perdoa... sei que você está confusa, nervosa... se você precisa de um tempo, eu entendo...

Inesperadamente, Clara aproximou-se de Mick e beijou-o apaixonadamente. - Espera! Eu te amo, sim... mas não posso... me entenda, por favor...

Mick retribuiu o beijo, acariciou o rosto de Clara e voltou para a mesa.

- Clara querida... você está bem? - Jennifer disse assim que Mick saiu do banheiro. - O que aconteceu entre vocês?

- Nada, ele veio aqui me ajudar, me pediu desculpas, você viu...

- E aquele beijo?

- Eu não sei... apenas quis beijá-lo... sempre quero... mas sei que é errado... não posso amar dois homens ao mesmo tempo...

- Querida, não precisa decidir nada agora...

- Acho que não, Jennifer... eu tenho muito medo de complicar ainda mais as coisas....

- Querida... olha, você quer que nós conversemos com o Mick? Eu e a Cindy podemos pedir para ele ir embora...

- Não... vamos voltar para a mesa... estou um pouco tonta ainda, mas vou ajeitar minha maquiagem e logo saímos daqui...

- Vai ficar tudo bem... - Jennifer disse ajeitando a roupa de Clara. 

- Não vai... eu quero muito beijar o Mick agora... e isso vai acabar destruindo meu casamento... nada vai ficar bem, Jenni... nada...

Clara e Jennifer voltaram para a mesa sentindo-se observadas por todo o restaurante.

- Desculpa novamente, querida... eu não tinha a intenção...

- Me perdoa você Mick... eu não queria que nada disso acontecesse, me dói muito esta situação... eu amo você e o Jack e não sei o que fazer...

- Eu sei...  não quero te pressionar, já te disse que você é livre para decidir o que quiser... vou te dar um tempo, me afastar... é isso o que você quer?

- Não... mas acho que nós dois precisamos de um tempo para pensar... - ela suspirou.

- Está bem... vou hoje à noite para Nova York com o Keith e depois nós vamos direto para Nice. Os maridos de vocês querem acompanhar as nossas gravações e acho que nos encontraremos lá, daqui uns dias... está bem para você, Clara?

- Está bem...

- Ótimo... lá teremos mais tempo e liberdade para conversarmos melhor... agora, vamos sair separadamente, não quero que os paparazzi lá fora nos fotografem juntos... - Mick disse após pagar a conta do restaurante.

- Você está bem para dirigir Mick? - Jennifer perguntou preocupada.

- Estou com meu motorista, querida... - Mick sorriu. - Ele vai me levar... Clara, meu amor... me perdoa, por favor...

- Já perdoei, querido... - ela sorriu e abraçou-o com carinho. - Vamos resolver tudo isso...

- Vamos sim, meu amor... não fica nervosa e não se afasta de mim. O que aconteceu hoje foi lindo, inesquecível... eu estou ainda mais apaixonado e disposto a qualquer coisa para ter você de novo nos meus braços...

- Mick, por favor... - Clara disse pegando a mão dele. - Não posso...

- Eu sei, meu amor... - Ele puxou-a novamente para perto e abraçou-a. - Fica em paz, meu amor... nos vemos daqui uns dias... - ele beijou-a e em seguida, caminhou  para a porta do restaurante, sob os olhares de todos os clientes. 

- Será que estamos fazendo a coisa certa? - Clara perguntou para suas amigas. - Espero não estar fazendo uma bobagem...

- Claro que está, querida... - Jennifer sorriu. - Vai ser bom ter uns dias para pensar...

- Acho bom vocês conversarem... as coisas estão muito confusas agora, mas acho que vocês ainda podem se entender...  - Cindy disse apoiando a amiga. - Para mim, já está bem claro que não foi só sexo e acho que vocês precisam conversar muito ainda...  Será que ele já foi?

- Acho que sim... o segurança dele é muito bom... - sorriu Jennifer. - Se não me engano ele trabalhava para a família real...

- Vocês acham que nosso encontro aqui vai parar nos tablóides?

- Não sei, querida... vamos esperar que não...

- Vamos embora? Acho que já deu para ele sair...

Assim que as três amigas saíram do restaurante, os paparazzi correram em sua direção e bloquearam completamente sua passagem até os carros.

- Clara Noble, por favor... Vocês almoçaram com o Mick Jagger?

- Por favor, pessoal... não vou dar entrevistas... estou atrasada... nos deixe passar...

- Você e o Jagger estão tendo um caso, agora que a Gianna Carli o deixou?

- Vocês não desistem mesmo... nós somos amigos, nos encontramos em um restaurante que todos frequentamos quando estamos na cidade... e isso é tudo...

- Mas ele está separado?

- Não comento nem sobre a minha vida pessoal, você acha que eu comentaria sobra a vida dos meus amigos? Pronto, já falei com vocês... agora vou embora...

- Feliz dia das Bruxas!

- Para vocês também... - Clara sorriu e foi até o carro de Jennifer, que partiu rapidamente, logo atrás do carro de Cindy.

- Querida... você lida tão bem com eles... queria ser assim...

- Eu era um deles... talvez seja por isso... a maioria ali odeia o que faz e por isso desconta a raiva que sente no entrevistado... fora a inveja... todos eles acham que têm a missão de provar para o mundo que aquelas pessoas que eles são obrigados a seguir são farsas...

- Engraçado... pensando bem é assim mesmo que eles agem... - Jennifer sorriu. - Você era assim também?

- Não... eu tinha uma postura bem diferente dos meus colegas... eu adorava o que fazia e sabe que tinha alguns colegas que se ressentiam com isso? Esses sempre me tratavam mal...

- E como você fazia?

- Quase sempre, eu me isolava... por isso, quando comecei a lançar meus livros, uma porção de ex-colegas me atacava... fora meu ex-namorado que não perdia uma oportunidade de acabar comigo...

- Estamos quase chegando, querida... Desculpa dizer isso, mas o  Mick está desesperadamente apaixonado por você...

- Ah, não fala isso... a coisa mais difícil do mundo para mim foi não beijá-lo no momento em que ele chegou naquele banheiro... eu quero ele e não posso querer... é isso... acho que estou apaixonada por dois homens ao mesmo tempo...

- E o que você vai fazer sobre isso?

- Vou me afastar dele e rezar para que tudo isso passe...

- Não sei se é o melhor caminho... eu acho que vocês deveriam ficar juntos, conversar e só aí tomar qualquer decisão...

- Não posso... eu não consigo pensar em outra coisa, foi tudo tão lindo entre nós... queria estar nos braços dele agora...

- Vocês se amam... e isso está claro...

- Isso não pode acontecer... eu amo o Jack...

- Eu sei, amiga... mas estou preocupada... Mas vocês se querem muito... isso é tão perigoso...

- Eu sei... vamos entrar, quero saber se a Cindy também acha isso...

As três desceram dos carros que ficaram estacionados no páteo na frente da casa e entraram rápido, para fugir do frio.

- Vou pedir capuccinos e pegar uma daquelas minhas caixas de chocolate para conversarmos melhor... fiquem a vontade, queridas... Já volto...

- Fica tranquila, Clara... vou ligar para o Dave, ver onde eles estão...

Clara caminhou até a cozinha e pediu que a cozinheira preparasse os três capuccinos, depois passou na dispensa e pegou uma das suas caixas de chocolate favoritas, que comprava sempre em um mercado perto de sua casa.

- Pronto... - ela disse voltando para a sala de estar. - O chocolate já está aqui, os capuccinos a caminho... então, Cindy, você também acha que eu e o Mick vamos virar amantes?

- Querida... eu só posso te dizer que não estava pronta para ver o que vi naquele restaurante... Ele é um homem sedutor e me parece desesperado e você está ficando cada vez mais confusa, depois da cirurgia do Jack.... acho que se ele estivesse lá, vocês já estariam tendo mais uma daquelas brigas...

- Mesmo? Vocês não estão falando isso só para me deixar mais preocupada?

- Não querida... nós é que estamos preocupadas... - Jennifer sorriu e pegou um bombom da caixa que Clara tinha deixado sobre a mesa de centro. - Olha, se eu não soubesse tudo o que aconteceu entre vocês hoje,  depois do que eu vi, eu diria que vocês são um casal...

- Ah por favor... não fala isso... eu não quero que ninguém saiba...

- Então querida, vocês precisam controlar-se mais... estão mesmo parecendo amantes... - Cindy desabafou. - Nós duas sabemos tudo o que aconteceu, mas acho que para quem não sabe...

- Você não quer que o Jack descubra tudo, quer?

- Não... mas preciso dizer uma coisa... o Jack hoje me disse que queria me deixar livre para transar com quem eu quisesse... e disse a mesma coisa para o Mick também...

- O que?

- Ainda não disse isso para vocês porque eu mesma não consegui entender direito... estávamos tomando café e meu celular tocou, era o Mick... eu comecei a falar com ele e o Jack se irritou e me pediu o celular para falar com ele... achei que os dois iam brigar novamente e fui para o meu quarto... depois o Jack veio conversar comigo, pediu desculpas, disse que tinha conversado com o Mick e que sabia que ele queria também me fazer feliz... e que a partir daquele momento estava lutando contra aqueles ciúmes e que queria me deixar livre para transar com quem eu bem entendesse... desde que não o abandonasse...

- Meu Deus! Clara! Parece que ele estava advinhando... quer dizer... será que ele sabe que você se apaixonou pelo Mick? - Cindy perguntou chocada com a nova informação.

- Não sei... ele me disse que ia xingar o Mick, mas que pensou melhor porque entendeu que os dois querem a mesma coisa, me fazer feliz e cuidar da minha carreira... Estou intrigada com essa mudança de atitude dele, mas graças a ela não estou sentindo tanta culpa por tê-lo traido...- Clara suspirou. -  O Mick... ele é muito....

- Aquele homem é irresistível. - Jennifer sorriu. - mas se o Jack disse isso... você não o traiu... Quer saber, você tem muito com que se preocupar agora,  a situação do Jack... os shows chegando... você tem muito nas suas mãos... precisa acalmar-se e deixar a poeira baixar...

- Eu acho que vocês estarão bem, querida... - Cindy sorriu. - se o Jack realmente pensa assim...

- Não sei... mas espero conseguir que tudo se acerte nestes próximos dias em que eu e o Mick estaremos longe um do outro... - Ela disse pegando mais um chocolate na caixa. - Quer saber, acho que vou levar todas as caixas que estão na dispensa conosco... algo me diz que precisarei muito delas nos próximos dias... - Clara riu. - Ao menos elas podiam me ajudar a engordar um pouquinho...

- Quer dizer que você acabou de transar com o Mick, aquele homem maravilhoso e já está suspirando por chocolate... - Jennifer riu. - É amiga... você está muito mal acostumada...

- Vocês já estão achando que eu sou alguma espécie de ninfomaniaca... não sou... estou só muito nervosa com tudo isso...

- Nós sabemos querida... - Cindy sorriu. - Não se cobre demais... então... prontas para pegar a estrada? Vou ligar para o Dave agora e a gente já vai...

- Vou pegar mais chocolate na dispensa... já volto... - Clara disse caminhando até a cozinha rapidamente.

- Então vamos indo? Os rapazes já estão em Heathcliff Hall...  Onde estão as suas malas, Clara? - Cindy perguntou.

- Ali no canto... Vou pedir ao Bradley que as leve até  o carro... dá a chave para ele, Cindy... Bradley, estamos de partida, devemos estar de volta entre sexta e sábado, deixarei a seu critério se deve dispensar os outros empregados em nossa ausência...

- Senhora Noble, os jardineiros virão trabalhar no jardim na quarta-feira.

- Ok, então acerte com a equipe, quem fica aqui e quem descansa. Qualquer dúvida, me ligue no celular... O carro da senhora Silver ficará em nossa garagem, por favor, muito cuidado com ele...

- Claro, senhora Noble... não se preocupe... cuidaremos bem de sua casa...

- Obrigada Bradley... - Clara sorriu e entrou no carro de Cindy, junto com suas amigas.

Enquanto o carro partia, Clara repassava mentalmente tudo o que tinha embalado, preocupada se não tinha esquecido nenhuma das coisas que usaria durante a viagem, de documentos a remédios dela e de Jack, passando por roupas, sapatos, perfumes e cremes.

- Vou pegar meu tablet e dar uma olhada, a esta altura, os tabloides já tiveram tempo de publicar alguma coisa sobre o nosso encontro com o Mick hoje... - Jennifer disse no banco detrás do carro, enquanto elas ainda rodavam por Kensington.

- Estou torcendo para que você não ache nada... - Clara sorriu. - Ainda bem que o Jack nem lembra que existe internet. De vez em quando, ele lê os e-mails que vêm dos filhos dele e os do Peters com aqueles relatórios da assessoria de imprensa e só...

- Ainda bem, querida... - Jennifer sorriu. - Por enquanto não tem nada... acho que vocês deram sorte...

- Espero que sim, Jenni! Estou muito confusa nestes últimos dias e ansiosa porque o show da O2 está chegando e estou começando a ficar apavorada com a ideia de subir no palco... não quero ter mais isso para me preocupar...

- Calma Clara... vocês ainda vão ensaiar muito até lá... o David quer que vocês fiquem lá em casa até o dia do show...

- Isso não sei se vou poder fazer... a filha do Jack deve chegar a qualquer momento na cidade e vamos hospedá-la em casa, enquanto ela não arruma um lugar para ficar em Londres...

- Hum... mas ela pode vir para Heathcliff Hall também querida... temos muitos quartos de hóspedes...

- Mas até decoramos o quarto para ela em casa, Cindy... lembra?

- Claro que lembro, foi uma das maiores modificações que fizemos na casa, ligando os três quartos... Mas ela pode ir para a casa de vocês depois do show, que tal?

- Pode ser... na verdade, neste momento, não me sinto capaz de decidir nada... estou a um passo do pânico...

- Acho que eu estaria bem pior do que você, se tivesse que subir naquele palco... você é muito corajosa, amiga... - Cindy sorriu.

- Eu também, Cindy... e olha que já tive minha dose de passarelas pelo mundo... mas acho que nada se compara àquele palco enorme que você vai enfrentar.... você é minha heroína, Clara!

- Heroína? Eu? Não sei... A sensação de estar no palco, ao lado do Jack é tão boa... adorei cantar na festa, foi incrível...

- É, querida... acho que você nasceu para isso... Você tem muito carisma...

- Ah não, Cindy... não exagera, por favor...

- Ok... você já me assustou... achou alguma coisa na mídia Jen? - Clara perguntou ansiosa ao ver a amiga arregalar os olhos depois de olhar para seu tablet.

- Ai querida... olha isso... - Ela entregou o tablet na mão de Clara.

Continua

Nenhum comentário: