8 de dez de 2011

Rockstar - Capítulo LV


- Algum problema, querida? - disse Jack deitado, olhando para ela. - O que foi?

- Acho que tive um pesadelo, Jack. - disse Clara, com as mãos tremendo e a sensação ainda forte de que Mick a estava beijando há apenas alguns minutos. - Que horas são?

- Sete e meia... - sorriu Jack. - Vamos levantar? O David quer ir cedo para o estúdio hoje...

- Espera, meu amor... - disse Clara sentando-se na cama. - Me abraça antes... vamos passar o dia longe um do outro, já estou com saudades de você.

Os dois se levantaram e tomaram um banho de chuveiro juntos. Depois, vestiram-se e desceram para o café da manhã, com os amigos na sala de vidro. Para Clara tudo parecia ainda muito estranho, tinha sonhado com aquela manhã, mas não podia comentar nada com ninguém.

- Está tudo bem Clara? - Jennifer perguntou a ela ao notar que ela tinha parado de comer e apenas olhava para a movimentação de seus amigos ao redor da mesa. - Você me parece meio fora de órbita hoje...

- Desculpa, Jenni. - sorriu Clara. - Acho que ainda não acordei direito... então, vamos fazer compras?

- Vamos! - disse Cindy. - Mas vamos passar no meu escritório antes para te mostrar os projetos...

- Não podemos ver esses projetos aqui mesmo? - interrompeu Clara. - Estou um pouco ansiosa hoje...

- Claro, podemos ver tudo na biblioteca... - sorriu Cindy sem entender direito a pressa de Clara. - Tem um aparador em leilão...

- Ah, adorei esse aparador... - respondeu Clara.

- Mas você o viu onde? - perguntou Cindy intrigada. - Clara, você está engraçada hoje...

- Ela teve um pesadelo esta noite... - disse Jack. - Acordou de manhã chamando pelo Mick... espero que seja algum outro cara e não aquele salafrário do Jagger...

- Eu não sei, querido. - sorriu Clara. - quando abri os olhos, o pesadelo desapareceu completamente da minha memória...

- Ok! Este é o som que anuncia a chegada do Paul... - disse David apontando para cima ao ouvir o ronco do carro do baterista aproximando-se da casa. - Senhores, espero por vocês no estúdio. - completou, pegando um muffin de chocolate e levantando-se da mesa. - Queridas, até mais tarde...

Jack levantou-se da mesa e puxou Clara pela mão até o corredor de vidro.

- Meu amor, você está bem? - perguntou abraçando-a. - Estava brincando sobre seu sonho, mas você me parece um pouco fora do seu normal...

- Estou, querido... - sorriu. - Bobagem... acho que estou um pouco triste por passar o dia longe de você, queria que você fosse comigo escolher os móveis...

- Não se preocupe, amor. - sorriu Jack e beijou-a na testa. - Vamos estar juntos depois, lá no Brasil e eu vou te mimar muito...

- Eu te amo, Jack...

Os dois se beijaram e Jack seguiu pelo corredor até a porta que levava ao estúdio. Clara ficou olhando para ele até que desapareceu atrás dela e voltou a sentar-se, enquanto Mike também se despedia da esposa e seguia para trabalhar.

- Então, vai nos contar esse sonho e por que está tão perturbada por ele, Clara? - perguntou Cindy.

- Vou, mas quando subirmos na biblioteca. Ninguém pode escutar isso e acho que lá teremos mais privacidade. - disse Clara, pegando mais um copo de suco de laranja.

Depois do café, as três seguiram para a biblioteca onde Cindy mostrou em um site de leilões o mesmo aparador do século XIX que Clara tinha visto em seu sonho e ela disse, como no sonho, que o queria, o que fez a amiga fazer um lance por ele.

- Então, estamos aqui sozinhas. - sorriu Jennifer. - O que foi que você sonhou?

- Desculpem, mas estou apavorada... - disse Clara tremendo novamente.

- Quer um uísque? - perguntou Cindy, percebendo o nervosismo da amiga. - Sei que é muito cedo...

- Fala Clara, conta logo... - disse Jennifer.

- Ok! Bom, no meu sonho, era hoje de manhã e eu acordei, tomei um banho, conversei um pouco com o Jack e descemos para o café da manhã. Enquanto estamos lá conversando sobre o que faríamos hoje, ouvimos o carro do Paul e nossos maridos se levantaram e foram para o estúdio. O David pega mais um muffin e leva com ele...

- Você está perturbada por que? - riu Cindy. - O David sempre pega mais um muffin...

- Não terminou ainda, amiga... - disse Clara. - Nós três nos arrumamos, entramos no carro e seguimos para Londres... Quando o carro sai da estrada de Heathcliff Hall e entra em um enorme congestionamento, você fala para a Jenni... Conta, conta logo para ela...

- E eu, pergunto, conta o que?

- O que aconteceu em Paris... - disse Clara. - E a Jenni começa a dizer que o Jagger foi ao apartamento dela e eles transaram...

- Como você sabe disso? - Jennifer pergunta espantada. - Não contei nada disso para ninguém... Como você sabe?

- Então é verdade? - perguntou Clara. - Meu Deus! Espera... não me fala nada... Você encontrou com ele na rua e convidou-o para tomar um café no seu apartamento. Daí ele preferiu um uísque e começou a fazer perguntas sobre meu casamento com o Jack. De repente começou a dizer que estava apaixonado por mim e a chorar. Você o abraçou para consolá-lo e quando viu, estavam transando no sofá, certo?

- Isso mesmo? Mas como você sabia? - disse Jennifer assustada.

- Você me disse tudo isso no sonho...

- E você ficou perturbada assim porque a Jenni contou isso? - perguntou Cindy.

- Não... Bom, ela disse tudo isso no carro e nós três estávamos nervosas com tudo o que tinha acontecido e chegamos no seu escritório. Decidimos tomar um uíque por lá e não falarmos mais nesse assunto. Aí entra o site de leilões, você me mostrou aquele aparador e eu gostei dele, então você fez um lance por ele para comprá-lo para mim.

- Meu Deus! - disse Cindy.

- Mas ainda não terminou... - disse Clara. - O assunto Mick Jagger voltou a ser discutido no seu escritório e eu então, tive a ideia de chamá-lo para conversarmos, porque me senti culpada pelo que aconteceu entre ele e a Jenni e ela ligou para ele, chamando-o para vir ao escritório porque eu queria falar com ele...

- Conta tudo, Clara... - disse Cindy chocada.

- Daí, eu perguntei, onde ele estava e você me disse que no apartamento dele, que é no mesmo prédio em que o David morava antes de se mudar para Heathcliff Hall.

- Como você sabe disso? Esse apartamento... - disse Cindy.

- Fica a 10 minutos de caminhada do seu escritório em Kensington Gardens, não é? - perguntou Clara.

- Não é possível! - disse Cindy. - Isso não foi um sonho...

- Eu ainda não terminei... - disse Clara. - Ele foi lá, conversou com nós três e disse que sabia que você nos contaria o que aconteceu em Paris entre vocês e você disse que não escondia nada de suas amigas... Aí, você e a Cindy saíram do escritório e eu fiquei sozinha com ele.

- Como pode? - disse Jennifer. - Não contei nada para ninguém que a razão de eu ter ficado mais uma noite em Paris foi ele... Clara, estou espantada...

- Então, eu estava chorando quando peguei na mão do Mick e ele me disse que o desabafo que fez para você, em Paris, foi muito forte e que não conseguiria passar por aquilo tudo novamente e começou a passar a mão no meu rosto e nos meus cabelos, quando vi, ele estava me beijando.

- O que? - riu Cindy. - E vocês transaram no meu escritório?

- Não! Quando ele me beijou, me assustei com o que senti e acordei, chamando o nome dele...

- Epa! Isso é novidade... - disse Cindy. - Será que você não está se apaixonando por ele? E você, Jenni? Transar com o Mick? Você está maluca?

- Há muito tempo queria pegar o Mick, já te disse isso, Cindy. - sorriu Jennifer. - Sim, foi uma noite maravilhosa e não, não vai acontecer de novo...

- Bom para você! - sorriu Cindy. - E você, Clara? Quer mesmo conversar com ele?

- Não! Nem pensar! - disse Clara. - Não quero vê-lo tão cedo. Acho que vou aproveitar nossa ida para Londres hoje e comprar as passagens para o Brasil. Quero embarcar até sexta-feira.

- Não vai adiantar fugir, querida. - disse Cindy. - Ele já está entrando nos seus sonhos. Será que não era melhor mesmo fazer o que fez no sonho? Sentar e conversar? O que ele te disse, Jenni?

- Que está apaixonado pela Clara, que no começo achou que era só uma atraçãozinha boba, mas que não consegue parar de pensar nela e que sabe que não tem chance, mas que estará sempre por perto. Ele me disse que quer que você o aceite como amigo e que tentará não prejudicar seu casamento...

- Não sei nem o que dizer mais. - disse Clara. - Estou confusa, nervosa e me sentindo muito culpada por tê-lo beijado no sonho... Isso não podia acontecer, nem no sonho... Eu não deveria me sentir daquele jeito beijando o Mick, não deveria...

- Calma, querida... - disse Cindy. - Vamos fazer uma coisa? Só por hoje, esquecemos que o Mick existe. Vamos sair, comprar móveis, vasos, tapetes e coisas lindas para a casa onde você vai morar com o Jack. Você ama o Jack, não?

- Muito... - respondeu Clara. - Eu o amo tanto que agora mesmo gostaria de nunca ter conhecido o Mick...

- Então... - sorriu Cindy. - Vamos caprichar nesse lugar onde vocês serão muito felizes juntos, olha aqui essa sala, onde ele vai sentar neste piano e tocar para você...

Clara olhou para o projeto de Cindy, na tela do computador e começou a imaginar-se nele, queria estar com ele naquele momento, beijá-lo e dizer que nada nem ninguém atrapalharia a felicidade dos dois, mas isso não era mais verdade.

Continua

Nenhum comentário: