7 de out de 2009

A CHAVE (capítulo XIII)



Sem saber se foi obra do vinho, ou da viagem cansativa, Ana dormiu profundamente, um sono sem sonhos do qual acordou revigorada, no dia seguinte, com os latidos de um cão.

Um pouco tonta, ainda, foi até a janela e viu Mikhail brincando com um grande labrador amarelo.

Naquele momento, o sonho que teve no avião, começou a fazer sentido, e cenas rápidas dele e de muitos sonhos anteriores começaram a fluir em sua memória.

Logo, o último recado do caderno de Josef, que falava sobre seguir sua intuição, começou também a fazer todo o sentido do mundo.

Ana saiu da janela e pegou o caderno em sua mochila, releu os últimos avisos de Josef e agora, com uma forte impressão de que estava prestes a compreender tudo aquilo que havia acontecido, já que estava plenamente consciente de que sua intuição a guiaria por aquele novo caminho, virou a página:

"Muito bem! Você conseguiu! Agora que você compreendeu que a intuição deve guiá-la, já posso contar-lhe que Mikhail também faz parte de nosso trabalho.

Preciso que você entenda antes de tudo, que nada acontece por acaso. Eu, você e Mikhail fazemos parte de algo muito maior e temos uma missão que se desenrola há séculos.

Somos os guardiões de segredos milenares, passamos a nossa vida colhendo-os, resgatando-os e trazendo-os à luz, para que as próximas gerações, algum dia, tenham novamente a noção correta de suas origens e possam voltar a encontrar seu lugar no Universo.

Somos muitos com esta missão e fazemos isso há muitas vidas. Logo, você resgatará as memórias necessárias para que "A Corrente" siga seu destino e todo o conhecimento, que um dia moveu civilizações, volte a ser de todos."

Aquela era a primeira página do caderno que não tinha nenhuma instrução específica sobre continuar a leitura ou não, Ana sorriu e percebeu que daquele momento em diante, as instruções não seriam mais tão necessárias, sua intuição estava pronta.

Fechou o caderno, vestiu-se e desceu as escadas, sabia que tinha um longo caminho a percorrer e que estava prestes a dar o primeiro passo.

Continua

Nenhum comentário: